ESQUERDA

“PSOL segue na base do governo Lula e vai enfrentar a extrema direita”, diz nova presidenta do partido

Paula Coradi, em entrevista à Fórum, fala sobre as decisões do congresso do partido, a confusão entre militantes e diz que eleição de Boulos será como um terceiro turno entre Lula e Bolsonaro

Paula Coradi, presidenta do PSOL.Créditos: Tuane Fernandes / PSOL
Escrito en POLÍTICA el

A historiadora Paula Coradi foi eleita presidenta nacional do PSOL (Partido Socialismo e Liberdade) em congresso realizado neste final de semana em Brasília, com 67% dos votos dos 451 delegados. Em entrevista ao programa Fórum Onze e Meia, Paula falou sobre as decisões do partido de seguir como base do governo Lula e focar no combate à extrema direita. A dirigente comentou ainda sobre a confusão entre militantes no domingo (1º).

“O PSOL é um partido muito vivo, muito diverso. Foram três dias muito intensos de debate sobre conjuntura internacional, nacional, as eleições de 2024 e também organização partidária”, avaliou. 

“Mas o mais importante é que na política nós tomamos duas definições. A primeira, que é unânime dentro do partido, é, nesse período histórico que nós estamos vivendo, a principal tarefa do partido deve ser o enfrentamento à extrema direita. Isso estava escrito em todas as teses, todas as tendências internas do PSOL defendem isso. E uma outra questão mais polêmica era a nossa relação com o governo Lula. E a tese vitoriosa, que foi a chapa que teve 67%, composta por um campo chamado ‘PSOL de todas as lutas’, defendeu que o PSOL deve sim continuar a ser base do governo, deve continuar ajudando Lula a governar e fazer com que esse governo dê muito certo. A gente entende que o governo Lula precisa dar muito certo para que a extrema direita não volte a governar o Brasil. Já fez isso em quatro anos e foi um desastre completo para o nosso povo. Esse entendimento da relação do PSOL com o governo também teve uma amplíssima adesão dentro do partido.”

Sobre a confusão no evento, Paula contou que envolveu inicialmente dois militantes e o caso será analisado pela Comissão de Ética do partido.

“Conseguimos tirar uma decisão de que nós continuaríamos o congresso, que isso não poderia ser o tom do evento, que foi muito vitorioso. Foi um caso isolado, a gente teve dois dias de debates muito intensos, muito mais do que foi esse último ponto, mas infelizmente aconteceu. Mas o que importa mesmo foi a nossa decisão política de apoiar o governo Lula, de enfrentar a extrema direita e preparar o PSOL para as eleições ano que vem.”

PSOL quer eleger Boulos e mais vereadores nas eleições de 2024

Paula Coradi chama a atenção para as eleições de 2024, especialmente para a pré-candidatura de Guilherme Boulos à Prefeitura de São Paulo.   

“Guilherme Boulos é um quadro político excepcional, de muita capacidade, de muita generosidade e sensibilidade. Vai ser um ganho enorme para todos nós, toda a população de São Paulo, mas também para a esquerda brasileira ter uma pessoa como o Guilherme Boulos governando uma grande capital. Tenho certeza que nós podemos contar também com o PT, com a federação PCdoB- PV e com a esquerda unida, não só em São Paulo, mas em outros lugares. Precisamos construir frentes de esquerdas para derrotar a extrema-direita nas cidades do Brasil.”

A disputa de Boulos em São Paulo é vista como um terceiro turno das eleições de 2022, que teve Lula e Bolsonaro polarizando o país.

“Espero que até lá o governo Lula esteja acertando muito, como tem feito até agora, para a gente conseguir estar muito forte nas eleições e tirar a extrema direita dos espaços de poder e reconstruir o Brasil.”

Outras apostas da legenda para o ano que vem são as candidaturas dos deputados federais Tarcísio Motta no Rio de Janeiro e Talíria Petrone em Niterói, assim como a reeleição de Edmilson, em Belém.

Paula Coradi será presidenta do PSOL até 2026

Paula Coradi é professora da Rede Estadual de Ensino do Espírito Santo e vai suceder Juliano Medeiro que esteve à frente da legenda de 2017 a 2023.

“Juliano fez realmente uma excelente gestão,  dobrou o número de filiados na sua gestão. Sou uma pessoa muito grata e feliz de ter participado desse processo junto a ele, um camarada excepcional.”  

Juliano Medeiros e Paula Coradi (Foto: Arquivo pessoal)

Assista à entrevista