ESCÂNDALO

"Mijoias": Michelle Bolsonaro vai para os trends após debochar da PF

A ex-primeira-dama, durante evento do PL, tirou sarro sobre o fato de ser investigada no caso das joias sauditas

"Mijoias": Michelle Bolsonaro vai para os trends após debochar da PF.Créditos: Reprodução/PL Mulher
Escrito en POLÍTICA el

Durante um evento do PL realizado na última sexta-feira (28), a ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro debochou da Polícia Federal (PF), que a investiga no caso das joias sauditas, e declarou que vai lançar uma linha de produtos que se chamará "Mijoias".

"Mas vocês pediram tanto, falaram tanto de joias que em breve teremos o lançamento das Mijoias para vocês. Mas sabem o que aconteceu? Vou fazer limonada docinha desse limão. Vou. E vou dizer a vocês: aquele que me colocou aqui vai me fortalecer, que é Deus", deplorou Michelle Bolsonaro.

Após o "anúncio" de sua nova linha de produtos, "Mijoias" foi parar nos trends do Twitter e tornou-se um dos principais assuntos nas redes sociais, o que também gerou uma série de memes com a ex-primeira-dama. Confira abaixo algumas reações:

 

 

 

 

 

Bolsonaro vai pedir devolução de joias e ordena blindagem a Michelle 

Em meio à denúncias contundentes contra a Organização Criminosa que traficou joias aos EUA, a defesa de Jair Bolsonaro (PL) usará uma estratégia kamikaze pedindo a devolução das joias ao clã.

Além disso, a ordem do ex-presidente é blindar a ex-primeira-dama no depoimento simultâneo da OrCrim à PF na próxima quinta-feira (31), quando serão ouvidos todos os envolvidos na investigação sobre as joias - Mauro Cid, pai e filho, Frederick Wassef, Fabio Wajngarten e Osmar Crivelatti, além do casal.

O depoimento simultâneo foi convocado pela PF para evitar que os membros da OrCrim combinem versões entre eles. No entanto, Bolsonaro já teria ordenado a todos os envolvidos para enfatizar que Michelle desconhecia as joias e que ela tomou conhecimento pela imprensa, quando veio à tona a retenção do kit pela Receita Federal no Aeroporto de Guarulhos.

Bolsonaro teme que o advogado de Mauro Cid, Cezar Bitencourt, arraste a ex-primeira-dama para o centro das investigações. Em declarações recentes, ele disse que o dinheiro da venda do Rolex nos EUA foi entregue ao ex-presidente ou à ex-primeira-dama.

Devolução das joias

No depoimento, Bolsonaro vai seguir a estratégia traçada pelo advogado Paulo Cunha Bueno, de que os presentes valiosos dados ao governo brasileiro durante as viagens oficiais pertenciam a ele e não à União.

Para corroborar a tese, Cunha Bueno afirmou, em entrevista à Mônica Bergamo, na Folha de S.Paulo, que vai pedir a devolução das joias a Bolsonaro.

"As joias foram entregues ao TCU há alguns meses, por iniciativa da defesa, para demonstrar que jamais houve a intenção de Bolsonaro de se apropriar que algo que não lhe pertencia", afirmou.

A estratégia é uma maneira da defesa ganhar tempo, distorcendo e judicializando o entendimento do Tribunal de Contas da União (TCU), de que apenas itens perecíveis e de baixo valor poderiam ficar no arquivo pessoal. Mesmo assim, a lei afirma que a União teria prioridade na compra dos objetos - o que não foi feito por Bolsonaro.

"Caso o TCU entenda que elas são do acervo público, e não do acervo privado de interesse público de Jair Bolsonaro, vamos judicializar a questão", afirmou o advogado, deixando clara a intenção de ganhar tempo com a estratégia.