Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
03 de setembro de 2019, 13h04

Acabou a mamata: Deputada Carla Zambelli fura concurso e consegue vaga para filho em Colégio Militar

Apesar de concursos serem pré-requisito para o ingresso na instituição, a deputada, que pertence ao partido de Jair Bolsonaro, alegou que solicitou a vaga por conta de ameaças sofridas por ela e por seu filho

Foto: Michel Jesus/Agência Câmara

A deputada federal Carla Zambelli (PSL) conseguiu que seu filho fosse matriculado no sexto ano de um Colégio Militar, em Brasília, sem ter prestado concurso. A autorização para o ingresso do menino, de 11 anos, foi publicada no dia 30 de agosto no Boletim de Acesso Restrito do Exército. Concursos são pré-requisito para a seleção de candidatos nessas instituições, visto que a concorrência é grande. Em 2017, houve 1.212 candidatos para 25 vagas oferecidas para o sexto ano, uma relação de 48 candidatos por vaga.

O Despacho Decisório 142/2019 informa que a deputada solicitou a vaga depois de sua mudança para Brasília, empossada no cargo de deputada. Segundo o documento, ela afirmou que seu pedido estava respaldado pelo artigo 92 do Regulamento dos Colégios Militares, que diz de forma genérica que casos considerados especiais poderão ser apreciados pelo Comandante do Exército. No entanto, não aborda, especificamente, o ingresso de estudantes na instituição.

Se você curte o jornalismo da Fórum clique aqui. Em breve, você terá novidades que vão te colocar numa rede em que ninguém solta a mão de ninguém

Zambelli disse à revista Veja que solicitou a vaga por conta de ameaças sofridas por ela e por seu filho. Afirmou que essas ameaças, que começaram em 2016, são feitas por um grupo que, segundo ela, está ligado a dois massacres ocorridos em escolas brasileiras – o de Realengo, no Rio (em 2011, que deixou treze mortos) e o de Suzano, no Estado de São Paulo (em 2019, com dez mortos).

Para a deputada, o Colégio Militar seria a única instituição em Brasília que seu filho ficaria em segurança. Zambelli disse ainda  contar com proteção da Polícia Legislativa, mas que esta segurança não contempla seu filho. Ela afirmou ter anexado provas das ameaças no documento encaminhado ao Comando do Exército.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum