Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
30 de outubro de 2019, 21h18

Acusado por Bolsonaro de vazar informações para Globo, Witzel é chamado de traidor em evento

Um grupo de bolsonaristas esperou a chegada do governador do Rio em universidade do interior do estado e o acusou de trair o presidente da República; assista ao vídeo

Wilson Witzel e Bolsonaro (Foto: Divulgação)

O governador Wilson Witzel foi xingado por um grupo de bolsonaristas, ao chegar em evento na cidade de Itaperuna, interior do Rio de Janeiro, nesta quarta-feira (30). Ex-aliado de Jair Bolsonaro, ele foi apontado pelo presidente da República como responsável pela divulgação do depoimento do porteiro do condomínio Vivendas da Barra, que relaciona o ex-capitão à morte da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

Um vídeo divulgado nas redes sociais mostra o governador sendo recebido com gritos de “traidor” e “coisa feia” ao chegar no campus de Itaperuna da UNIG, uma universidade privada. A assessoria do governador não comentou sobre os ataques, dizendo apenas que Witzel já havia respondido “qualquer tipo de insinuação a esse respeito”.

O governador rebateu as afirmações feitas por Bolsonaro em entrevista e pelas redes sociais. Witzel lamentou o “descontrole” do presidente e disse que não tem nada a ver com o vazamento. “Fui magistrado por 17 anos e sempre prezei os princípios constitucionais. Jamais vazei qualquer tipo de informação, nem como juiz, nem como governador. Lamento que o presidente, num momento talvez de descontrole, tenha feito acusações contra a minha atividade como governador”, publicou Witzel no Twitter.

Manchar o nome

Em live que apareceu descontrolado, o presidente apontou Witzel logo após reportagem do Jornal Nacional, mas voltou a insistir no tema em entrevista concedida a jornalistas na manhã desta quarta-feira. “No meu entendimento, o senhor Witzel estava conduzindo o processo com o delegado da Polícia Civil pra tentar me incriminar ou pelo menos manchar o meu nome com essa falsa acusação, que eu poderia estar envolvido na morte da senhora Marielle”, disse Bolsonaro em Riad, na Arábia Saudita.

Assista ao vídeo:

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum