Alexandre de Moraes relatou ação que tira foro especial de Carlos Bolsonaro

Para o ministro, vereadores não têm a mesma prerrogativa dos deputados estaduais e devem ser julgados por um juiz de primeira instância

Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiram na sexta-feira (19), por unanimidade, em retirar o foro especial do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), investigado por “rachadinha” em seu antigo gabinete.

Atualmente, o caso do filho do presidente é conduzido pelo gabinete do procurador-geral de Justiça do Rio, Eduardo Gussem. No entanto, ministros avaliaram que vereadores não têm a mesma prerrogativa dos deputados estaduais e devem ser julgados por um juiz de primeira instância.

Além do esquema de rachadinha, Carlos também é investigado por suspeita de empregar funcionários fantasmas, assim como seu irmão, Flávio Bolsonaro.

O relator da votação no STF foi o ministro Alexandre de Moraes, cujo voto foi referendado pelos ministros Luiz Fux, Marco Aurélio Mello, Rosa Weber e Luís Roberto Barroso. Ministros ainda podem se manifestar ao longo de uma semana após a apresentação do voto do relator.

Com informações de Italo Nogueira, da Folha de S.Paulo.

Avatar de Luisa Fragão

Luisa Fragão

Jornalista.