Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
26 de março de 2019, 08h22

Aliado a Rodrigo Maia, Centrão quer ressuscitar proposta de reforma de Temer contra a de Bolsonaro

DEM, MDB, PSD, PR, PP e PRB devem dizer que texto de Bolsonaro e Paulo Guedes, que vai hoje ao Congresso, é cruel

Rodrigo Maia deve almoçar com líderes partidários nesta terça (26) - Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Reportagem da Folha de S. Paulo desta terça-feira (26) mostra que, insatisfeitos com a condução política do governo Jair Bolsonaro (PSC), deputados federais do chamado Centrão podem impor nova derrota ao presidente e sua equipe econômica. Líderes e presidentes de legendas como o DEM, MDB, PSD, PP, PR e PRB articulam ressuscitar a proposta de Reforma da Previdência de Michel Temer em detrimento da arquitetada pelo ministro Paulo Guedes.

O texto do emedebista, solto ontem (25) após quatro dias preso a pedido da Lava Jato, apesar de ruim para a classe trabalhadora, é considerado mais brando do que a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que tramita atualmente na Câmara Federal.

Bolsonaro e Guedes buscam economizar R$ 1 trilhão em dez anos. A proposta de Temer, em 2017, estimava R$ 800 bilhões, mas, após ajustes de Comissão Especial criada à época, o valor foi fixado em R$ 600 bilhões.

Na prática, o Centrão deve deliberar contra a redução do valor pago a idosos em situação de extrema pobreza e mudanças na aposentadoria para trabalhadores rurais.

O fator que realmente move o grupo de partidos, no entanto, é dar uma reposta a Bolsonaro após o mal-estar gerado entre o chefe do Planalto e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) – que alega desconhecer a movimentação das legendas aliadas, mas deve almoçar hoje com as lideranças.

O discurso a ser alinhado no encontro é de que o texto da PEC patrocinada por Paulo Guedes é cruel.

Há quem entenda, contudo, que a estratégia pode ser positiva para a Bolsonaro, pois, no imaginário, ficaria atribuída a Temer e ao Congresso a responsabilidade em torno de medidas extremamente impopulares.

Nesta terça-feira, o ministro da Economia vai à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara para tratar de seu “pacote de maldades”.

A partir de levantamentos junto a lideranças partidárias, a Revista Fórum listou cinco razões que podem impor o fracasso ao carro-chefe do governo Bolsonaro, para além do desastre na articulação política.

Vice-líder do governo na Câmara, o deputado Capitão Augusto (PR-SP) disse, nesta segunda (25), que o governo ainda não tem sequer 150 dos 308 votos necessários para garantir a aprovação da PEC da Previdência.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum