Fórumcast #19
26 de março de 2019, 08h22

Aliado a Rodrigo Maia, Centrão quer ressuscitar proposta de reforma de Temer contra a de Bolsonaro

DEM, MDB, PSD, PR, PP e PRB devem dizer que texto de Bolsonaro e Paulo Guedes, que vai hoje ao Congresso, é cruel

Rodrigo Maia deve almoçar com líderes partidários nesta terça (26) - Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Reportagem da Folha de S. Paulo desta terça-feira (26) mostra que, insatisfeitos com a condução política do governo Jair Bolsonaro (PSC), deputados federais do chamado Centrão podem impor nova derrota ao presidente e sua equipe econômica. Líderes e presidentes de legendas como o DEM, MDB, PSD, PP, PR e PRB articulam ressuscitar a proposta de Reforma da Previdência de Michel Temer em detrimento da arquitetada pelo ministro Paulo Guedes.

O texto do emedebista, solto ontem (25) após quatro dias preso a pedido da Lava Jato, apesar de ruim para a classe trabalhadora, é considerado mais brando do que a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que tramita atualmente na Câmara Federal.

Bolsonaro e Guedes buscam economizar R$ 1 trilhão em dez anos. A proposta de Temer, em 2017, estimava R$ 800 bilhões, mas, após ajustes de Comissão Especial criada à época, o valor foi fixado em R$ 600 bilhões.

Na prática, o Centrão deve deliberar contra a redução do valor pago a idosos em situação de extrema pobreza e mudanças na aposentadoria para trabalhadores rurais.

Veja também:  Aprovada na Câmara, MP da "liberdade econômica" corta mais direitos trabalhistas

O fator que realmente move o grupo de partidos, no entanto, é dar uma reposta a Bolsonaro após o mal-estar gerado entre o chefe do Planalto e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) – que alega desconhecer a movimentação das legendas aliadas, mas deve almoçar hoje com as lideranças.

O discurso a ser alinhado no encontro é de que o texto da PEC patrocinada por Paulo Guedes é cruel.

Há quem entenda, contudo, que a estratégia pode ser positiva para a Bolsonaro, pois, no imaginário, ficaria atribuída a Temer e ao Congresso a responsabilidade em torno de medidas extremamente impopulares.

Nesta terça-feira, o ministro da Economia vai à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara para tratar de seu “pacote de maldades”.

A partir de levantamentos junto a lideranças partidárias, a Revista Fórum listou cinco razões que podem impor o fracasso ao carro-chefe do governo Bolsonaro, para além do desastre na articulação política.

Vice-líder do governo na Câmara, o deputado Capitão Augusto (PR-SP) disse, nesta segunda (25), que o governo ainda não tem sequer 150 dos 308 votos necessários para garantir a aprovação da PEC da Previdência.

Veja também:  Depois da Alemanha, Noruega congela repasses para Fundo Amazônia

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum