Aliado de Bolsonaro, pastor Waldemiro Santiago vende semente de feijão por no mínimo R$ 100

Em vídeo, o pastor reclama que com a pandemia do coronavírus só pode receber 30% dos fiéis e isso provocou uma crise na estrutura da igreja

Amigo e um dos mais próximos aliados de Jair Bolsonaro no meio evangélico, o pastor Waldemiro Santiago, da Igreja Mundial, está vendendo uma semente de feijão branco por “no mínimo” R$ 100 em nova campanha sobre os fiéis lançada na internet.

“Você vai plantar uma semente para a obra de Deus. Estamos convocando empresários, comerciantes, fazendeiros, empreendedores para plantar uma semente generosa, uma semente grande na obra de Deus. Essa semente menorzinha que você vai plantar é de R$ 100 e a maior não tem limite. Quanto mais se planta, mais se colhe”, diz o pastor, que vende a sementinha grafada com as palavras “Sê tu uma benção”.

“Eu queria que você tomasse posse ligando na central, pra adquirir essa semente. Você recebe ela em casa. Você vai tirar da caixinha essa semente, vai plantar, num pouquinho de terra, num adubo orgânico, num esterco, num algodão molhado. E ela vai nascer e na planta vai estar escrito sê tu uma benção”, afirma Waldemiro.

O pastor reclama que com a pandemia do coronavírus só pode receber 30% dos fiéis nas igrejas e isso provocou uma crise na estrutura da igreja.

“Você liga agora e adquira a sua. Você vai honrar, vai investir na obra, que a luta está muito grande. Tem milhares de aluguéis, milhares de funcionários, pastores e bispos, com famílias, e tem também as despesas da manutenção do programa na televisão, que custa milhões”, reclama, chamando os fiéis para se divirem nos cultos, “conforme determinado pelo prefeito num decreto”.

https://youtu.be/6okORWU0Iiw
Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR