Fórumcast #20
24 de janeiro de 2019, 16h20

Ameaçado, Jean Wyllys deixa o Brasil e abre mão do mandato de deputado

"Preservar a vida ameaçada é também uma estratégia da luta por dias melhores", disse o deputado, principal referência da luta pelos direitos LGBTI no Congresso

Foto: Nilson Batista/Câmara dos Deputados

O deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) anunciou nesta quinta-feira (24) que vai deixar o Brasil e abrir mão de seu mandato.

Eleito pela terceira vez consecutiva em 2018, Wyllys é a principal referência da luta pelos direitos LGBTI no Congresso e, diante da ascensão de Jair Bolsonaro à presidência, teme por sua vida e sua integridade física.

“Eu não quero ser mártir. Eu quero viver”, afirmou Jean em entrevista à Folha de S. Paulo.

Alvo de fake news da campanha de Jair Bolsonaro e tido como um dos principais inimigos da família Bolsonaro no Congresso, o parlamentar revelou que sempre foi alvo de ameaças mas que começou a cogitar, de fato, abandonar a vida pública, depois do assassinato de sua companheira de partido, a vereadora Marielle Franco. Desde então, Wyllys vive sob escolta policial.

Nos últimos dias, denúncias tem mostrado a ligação do filho do presidente, Flávio Bolsonaro, com policiais milicianos que estariam envolvidos na morte da psolista, o que incentiva ainda mais a decisão de Jean Wyllys.

Veja também:  Lei sobre abuso de autoridade é chamada de Cancellier, nome de reitor morto na Lava Jato

“Me apavora saber que o filho do presidente contratou no seu gabinete a esposa e a mãe do sicário. O presidente que sempre me difamou, que sempre me insultou de maneira aberta, que sempre utilizou de homofobia contra mim. Esse ambiente não é seguro para mim”, desabafou.

Wyllys, que está de férias no exterior, informou que não pretende voltar e que se dedicará aos estudos. “Preservar a vida ameaçada é também uma estratégia da luta por dias melhores. Fizemos muito pelo bem comum. E faremos muito mais quando chegar o novo tempo, não importa que façamos por outros meios!”, escreveu o deputado em suas redes sociais.

Suplente de Jean, o vereador David Miranda (PSOL-RJ), também ativista LGBT, assumirá sua vaga na Câmara dos Deputados. Saiba mais sobre ele aqui.

Leia também
Substituto de Wyllys, David Miranda já dispara contra Bolsonaro: “Nos vemos em Brasília”

Em nota, bancada do PT na Câmara apoia Jean Wyllys e cobra apuração

Confira, abaixo, a íntegra da postagem em que Jean Wyllys anuncia o abandono de seu mandato

Veja também:  "Os tempos são duros, mas já foram piores", diz Juca Kfouri após demissão da ESPN


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum