Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
03 de abril de 2019, 10h22

Amoêdo cita papa neoliberal para criticar falência de gráfica do Enem e toma várias invertidas no Twitter

Seguidor comenta "só que a gráfica é privada". Amoêdo então rebate: "Nenhuma empresa eficiente fica dependente de um só fornecedor e sem um plano de contingência". E outro seguidor faz a tréplica: "Então, o que isso tem a ver com a citação do Friedman se não era o Estado que geria a gráfica?"

João Amoêdo toma invertidas no Twitter (Reprodução)

Candidato derrotado à Presidência da República, em linha auxiliar com Jair Bolsonaro (PSL) sobre as políticas privatistas, João Amoêdo, um dos fundadores do Partido Novo, citou frase do economista Milton Friedman para criticar a falência da gráfica que imprime a prova do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) no Twitter e tomou diversas invertidas dos seguidores.

Na publicação, Amoêdo escreveu, “como dizia Milton Friedman: “Se colocarem o governo para administrar o deserto do Saara, em cinco anos faltará areia”, compartilhando um link de reportagem sobre a falência da gráfica RR Donnelley, que desde 2009 é responsável pela impressão das provas do Enem.

Nos comentários, Pierre Lucena responde: “só que a gráfica é privada”. Amoêdo então rebate: “Nenhuma empresa eficiente fica dependente de um só fornecedor e sem um plano de contingência”. E o seguidor Vinicius Duarte, faz a tréplica: “Então, o que isso tem a ver com a citação do Friedman se não era o Estado que geria a gráfica?”

O seguidor Sérgio Amadeu também ironizou a publicação do político, que construiu carreira no sistema financeiro. “Se colocarem os banqueiros para admintrar a Amazônia ela rapidamente se tornará o Saara”.

Antônio César de Souza, citou o crime da mineradora Vale, privatizada durante o governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB), para criticar a publicação. “Como diria Marx (o Groucho), se colocar uma empresa privada para administrar barragens, em cinco anos teremos várias tragédias”.

 

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum