sábado, 19 set 2020
Publicidade

Amoêdo compara ter celular com esgoto

João Amoêdo, presidente do partido Novo, usou o Twitter nesta sexta-feira (30) para fazer uma comparação, no mínimo, inusitada. O empresário, ferrenho defensor de políticas econômicas neoliberais, divulgou dados sobre acesso à coleta de esgoto e números de brasileiros que têm celular para sustentar sua tese de que a privatização de empresas e serviços públicos é a solução para os problemas do país.

“Nas residências do Brasil: -92% têm celular -52% têm acesso à coleta de esgoto A diferença é previsível, já que 94% das empresas de saneamento são estatais”, postou Amôedo.

O empresário, que foi candidato à presidência na eleição de 2018, não levou em consideração, ao fazer sua comparação, as evidentes diferenças entre uma coisa e outra. Quando propõe a privatização como solução para a falta de acesso ao saneamento básico, Amoêdo minimiza um problema complexo e que não é exclusivo do Brasil.

Para se ter uma ideia, um levantamento da Organização Mundial da Saúde (OMS) de 2017 aponta que 4,5 bilhões de pessoas no mundo carecem de saneamento seguro. Isso significa que seis em cada dez pessoas em todo o globo – mais que a metade da população mundial – não têm acesso à coleta de esgoto.

Já o dado que aponta que 92% dos brasileiros possuem aparelho celular, apresentado de maneira isolada como fez Amoêdo, engana. Dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) de 2018 mostram que ainda existem 3,8 milhões de brasileiros que não têm acesso à rede de telefonia móvel, administrada por empresas privadas.

Na postagem do presidente do Novo, internautas chamaram a atenção para o fato de que as empresas privadas de telefonia móvel são as campeãs de reclamações nos Procons.

 

 

 

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.