Anonymous diz que relação de Bolsonaro com assassinato partiu de conta desconhecida

Perfil no Twitter que se dizia pertencente à rede de hackers havia ameaçado expor a ligação do presidente "com a morte de uma pessoa pública"

A conta no Twitter do Anonymous, braço brasileiro de um grupo internacional de hackers ativistas, afirmou nesta terça-feira (2) que é falsa a notícia de que o grupo vai expor a ligação do presidente Jair Bolsonaro com a morte de uma “pessoa pública”.

De acordo com o grupo, o perfil que havia anunciado a futura revelação é “desconhecido” e, portanto, não integra a rede dos hackers ativistas.

“Isso é false flag. Como nesses últimos dias dezenas de contas com o nome Anonymous está sendo criado, partiu de uma que desconhecemos”, afirmou o Anonymous no Twitter, que possui uma base de mais de 220 mil seguidores. O perfil que havia anunciado a revelação possui apenas 40 mil.

Um outro perfil que integra a rede de hackers divulgou nesta segunda-feira (1º) dados pessoais e informações confidenciais de Bolsonaro e seus filhos, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ).

O hackers também publicaram no Twitter informações do ministro da Educação, Abraham Weintraub, e da ministra da Família, Damares Alves. Alvos do inquérito das fake news no Supremo Tribunal Federal, o empresário Luciano Hang, dono da Havan, e o deputado estadual Douglas Garcia (PSL-SP) também tiveram os dados expostos.

Confira:

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR