Fórumcast, o podcast da Fórum
21 de abril de 2019, 14h16

Após áudio em que estimula ataques a Mourão, Bolsonaro posta vídeo de Olavo de Carvalho criticando militares

“Se tivessem vergonha na cara, confessariam seu erro, mas é só vaidade pessoal, vaidade grupal e vaidade esotérica. Os milicos têm que começar a confessar os seus erros”, diz o “guru” dos Bolsonaro

Foto: Reprodução/Vídeo

A guerra entre Jair Bolsonaro e o general Hamilton Mourão parece mesmo irreversível. Depois que o presidente foi flagrado pelo colunista Lauro Jardim, de O Globo, em áudios nos quais estimula aliados a atacar seu vice, o canal oficial de Bolsonaro no YouTube publicou um vídeo de Olavo de Carvalho criticando os militares.

No vídeo, o “guru” da família Bolsonaro aparece atirando de rifle e conversando com um interlocutor não identificado. Olavo chama o presidente de “mártir”, critica o PT e os políticos em geral e questiona: “Qual foi a última contribuição das escolas militares para a alta cultura nacional? As obras do Euclides da Cunha. Depois foi só cabelo pintado e voz empostada (indireta a Mourão)”, disse.

“Só cagada. Esse pessoal (os militares) subiu ao poder em 1964, destruiu os políticos de direita e sobrou o quê? Os comunistas, que tomaram o poder. Eles dizem: ‘Livramos o país dos comunistas’. Não, eles entregaram o país ao comunismo”, acrescentou.

E foi mais além: “Se tivessem vergonha na cara, confessariam seu erro, mas é só vaidade pessoal, vaidade grupal e vaidade esotérica. Os milicos têm que começar a confessar os seus erros. Essa é a lei de Cristo. Primeiro, os seus pecados. Depois, os dos outros. Criaram o PT e não têm coragem de confessar”, prosseguiu Olavo de Carvalho.

Assistam ao vídeo (referências aos militares a partir de 3m18):


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum