Após recorde de mortes por covid desde julho, Bolsonaro minimiza: “não adianta ficar em casa chorando”

Presidente não se mostrou sensibilizado com os 1.452 óbitos registrados nesta quinta e defendeu que “é preciso voltar a trabalhar, porque sem economia não tem Brasil”

As 1.452 mortes registradas no Brasil nesta quinta-feira (11) marcaram o dia mais negativo da pandemia de covid no país desde julho, mas não foi suficiente para sensibilizar o presidente Jair Bolsonaro.

Em live realizada nas suas redes sociais nesta noite, o mandatário tentou fugir do tema e afirmou que “não adianta ficar chorando em casa, a vida continua”.

Em seguida, manteve seu discurso contrário ao isolamento social, e disse que “é preciso voltar a trabalhar, porque sem a economia não tem Brasil”.

Outro destaque da live é que Bolsonaro parece estar adotando uma nova fórmula mágica de combate à covid (infecção causada pelo coronavírus SARS-CoV-2). O presidente vem abandonando seu discurso a favor da cloroquina e da ivermectina, e agora afirmou que analisa recomendar um spray israelense chamado EXO-CD24, que seria capaz de recuperar pacientes moderados em até 5 dias.

O presidente garantiu que agendou um encontro virtual com o premiê israelense Benjamin Natanyahu, para conversar sobre o uso do spray no Brasil, além de outros temas.

Avatar de Victor Farinelli

Victor Farinelli

Jornalista formado pela Universidade Católica de Santos, há 15 anos é correspondente na Argentina (2004 e 2005) e no Chile (desde 2006).

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR