Fórumcast, o podcast da Fórum
18 de abril de 2019, 14h38

Após segunda morte por fuzilamento, Bolsonaro diz que Exército “sempre esteve ao lado da vontade nacional”

Fomentando a guerra contra o Supremo Tribunal Federal (STF), Bolsonaro ainda fez afagos a setores da imprensa, dizendo que já teve percalços com a mídia, mas que precisa dos profissionais da área para que "a chama da democracia não se apague"

Bolsonaro em evento no Comando Militar do Sudeste, em São Paulo (Foto: Marcos Corrêa /PR)

Mesmo após o anúncio da confirmação da morte do catador de recicláveis, Luciano Macedo, a segunda vítima do fuzilamento de um carro de família por 80 tiros em Guadalupe, zona Norte do Rio, no dia 7, Jair Bolsonaro (PSL) disse que o Exército “sempre esteve ao lado da vontade nacional”.

A declaração ocorreu nesta quinta-feira (18) na sede do Comando Militar do Sudeste, em São Paulo, em solenidade em comemoração dos 371 anos do Exército Brasileiro – a segunda que Bolsonaro participa deste esta quarta-feira (17).

Leia também: Governo Bolsonaro dará honraria a advogado de militares do Exército que mataram músico no Rio

Fomentando a guerra contra o Supremo Tribunal Federal (STF), Bolsonaro ainda fez afagos a setores da imprensa, dizendo que já teve percalços com a mídia, mas que precisa dos profissionais da área para que “a chama da democracia não se apague”, em provocação velada à censura imposta pelo ministro Alexandre de Moraes, da corte, a dois sites de extrema-direita, que atuam como porta-voz de procuradores da Lava Jato e que vazaram informações de delação envolvendo Dias Toffoli.

“Precisamos de vocês, cada vez mais, com palavras, letras e imagens que estejam perfeitamente emanadas com a verdade. Nós, juntos, trabalhando com esse objetivo, faremos um Brasil maior, grande e reconhecido em todo o cenário mundial. É isso que nós queremos, que as pequenas diferenças fiquem para trás”, declarou Bolsonaro.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum