quarta-feira, 28 out 2020
Publicidade

Aras diz ter provas contra Lava Jato

Depois de pregar o fim do “lavajatismo” e ser avo de protestos de subprocuradores, o procurador-geral da República (PGR), Augusto Aras, afirmou nesta sexta-feira (31) que tem “provas” contra Lava Jato. Comentário foi feito em reunião do Conselho Superior do Ministério Público Federal, por meio de videochamada.

No encontro, o subprocurador Nicolao Dino leu uma carta aberta assinada por mais outros três conselheiros na qual afirmam que as declarações de Aras sobre a operação “alimentam suspeitas e dúvidas” e geram um MPF “desacreditado, instável e enfraquecido”.

“A fala de Vossa Excelência não constrói e em nada contribui para o que denominou de ‘correção de rumos; Por isso, não se pode deixar de lamentar o resultado negativo para a Instituição como um todo, expressando, por que não dizer, nossa perplexidade, principalmente por se tratar de graves afirmações articuladas por seu Chefe, que a representa perante a sociedade e os demais órgãos de Estado”, afirmou.

Em resposta, Aras disse que subprocuradores atuam em favor de um “aparelhamento” do MPF e de um “anarcossindicalismo”. Ele disse ainda não ter “receio de desagradar” e que sua missão era “servir ao MPF com a dignidade do cargo”.

“Por isso, doutor Nicolao, rejeito seus conselhos e espero que os órgãos oficiais respondam a Vossa Excelência e aos seus liderados. No mais, fatos e provas estão entregues à Corregedoria do MPF e ao CNMP. Está encerrada a sessão”, disse o PGR pouco antes de se desligar da reunião.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.