domingo, 20 set 2020
Publicidade

Aras não vê ameaça em Bolsonaro dizer a jornalista que “minha vontade é encher sua boca de porrada”

Para PGR, Bolsonaro não cometeu crime ao responder a jornalista da Globo que perguntou sobre os R$ 89 mil depositados por Queiroz na conta de Michelle Bolsonaro

Em parecer encaminhado ao Supremo Tribunal Federal (STF) na última sexta-feira (11), o Procurador-Geral da República (PGR), Augusto Aras, diz que Jair Bolsonaro não cometeu crime quando disse a um jornalista da Globo que “minha vontade é encher tua boca de porrada”.

A ameaça de Bolsonaro aconteceu quando ele foi indagado sobre os R$ 89 mil reais depositados por Fabrício Queiroz na conta de Michelle Bolsonaro.

Segundo informações do site Antagonista nesta quarta-feira (16), Aras diz que o suposto ameaçado não apresentou nenhuma queixa à Procuradoria sobre o episódio. Aras também disse que a Constituição proíbe a investigação do presidente da República por fatos “estranhos ao mandato”

O parecer foi feito para manifestação sobre petição apresentada pelo deputado Danilo Cabral (PSB-PE) ao STF que também acusava Bolsonaro por crime de responsabilidade.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.