sábado, 19 set 2020
Publicidade

Assassinato de Marielle: Witzel diz que lamenta “manifestação intempestiva” de Bolsonaro

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, publicou uma nota em suas redes sociais na madrugada desta quarta-feira (30) se defendendo das acusações que sofreu do presidente Jair Bolsonaro (PSL) durante uma live nesta terça (29). O presidente acusa Witzel de ter vazado para o Jornal Nacional as investigações da Polícia Civil do Rio sobre o caso de Marielle Franco.

“Lamento profundamente a manifestação intempestiva do presidente Jair Bolsonaro. Ressalto que jamais houve qualquer tipo de interferência política nas investigações conduzidas pelo Ministério Público e a cargo da Polícia Civil”, diz a nota do governador. “Não transitamos no terreno da ilegalidade, não compactuo com vazamentos à imprensa”, continuou.

No entanto, segundo a coluna ‘Radar’, da Revista Veja, o governador já sabia das informações que foram reveladas pelo Jornal Nacional, indicando que o STF pode investigar um possível envolvimento do presidente Jair Bolsonaro com a morte da vereadora Marielle Franco. De acordo com a revista, Witzel, que rompeu com Bolsonaro, estava ansioso para ver as informações divulgadas.

“O governador do Rio, Wilson Witzel, soube com antecedência das provas colhidas pela polícia do Rio sobre o surgimento do nome do presidente na investigação do assassinato de Marielle Franco. Na semana passada, segundo um interlocutor relatou ao ‘Radar’, o governador não escondia a euforia com os fatos revelados nesta terça-feira pelo Jornal Nacional”, diz nota publicada pela Veja.

Confira a nota na íntegra:

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.