Fórumcast #20
25 de outubro de 2018, 15h50

“Ataque muito grave à liberdade de expressão”, diz editora ameaçada por eleitor de Bolsonaro

Ivana Jinkings, da editora Boitempo, falou à Fórum sobre as ameaças que recebeu de um eleitor de Bolsonaro por telefone; "Precisamos estar firmes e fortes para barrar essas e quaisquer outras tentativas obscurantistas de nos intimidar. A literatura será sempre libertária"

Ivana Jinkings, responsável pela Boitempo.

Nesta quarta-feira (24) o alvo das ameaças diárias de eleitores de Jair Bolsonaro (PSL) foi uma editora de livros. Ivana Jinkings, responsável pela Boitempo, recebeu um telefonema intimidatório de um apoiador do capitão da reserva. De acordo com Ivana, ele fez perguntas sobre as tiragens de algumas obras, afirmou que a editora “logo vai acabar” e sugeriu “comprar uma carabina”.

Não é a primeira vez que a editora, conhecida por publicar livros de política e clássicos de esquerda e do marxismo, recebe ataques de direitistas. No final de 2017 a Boitempo recebeu ligações com tom de ameaça e mensagens ofensivas após o anúncio do lançamento de um selo infantil da editora.

Em entrevista à Fórum, Ivana afirmou que as ameaças não a surpreende. “Os fascistas têm se movimentado no país todo para ameaçar intelectuais, artistas, dirigentes e militantes de esquerda, mulheres, negros, homossexuais e transexuais. Há um sentimento de que toda violência está autorizada, a impunidade pra esses crimes de ódio tem sido total. Como a Boitempo se tornou referência em publicações do chamado pensamento crítico, era fatal de que acabaria acontecendo algo assim”, constatou.

Veja também:  Fórum Onze e Meia #10 – Receita e PGR na mira: Até quando elite e Globo vão deixar Bolsonaro aparelhar o Estado?

Para a editora, esse tipo de atitude configura “um ataque muito grave à liberdade de expressão”. “Mesmo sabendo que essas ameaças vêm de grupelhos isolados, precisamos estar firmes e fortes para barrar essas e quaisquer outras tentativas obscurantistas de nos intimidar. A literatura será sempre libertária, um polo de diversidade e resistência”, pontuou.

Ela, no entanto, não se intimida. Quando denunciou o telefonema intimidatório pelo Facebook, disparou:  “Saibam que não recuaremos um milímetro sequer em nossa linha editorial e nossa atuação. Somos resistência!”. Na mesma postagem, Ivana anunciou ainda um novo esquema de segurança na sede da empresa.

 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum