Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
05 de novembro de 2018, 10h47

Atentado e novas ameaças fazem com que Bolsonaro tenha esquema inédito de segurança

Ameaças identificadas pela Abin partiram de diferentes fontes, inclusive de facções criminosas como PCC e Comando Vermelho

General Etchegoyen. Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Em função de frequentes ameaças identificadas pela inteligência do governo e também por conta do atentado sofrido durante a campanha, o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Sérgio Etchegoyen, encomendou à sua equipe um estudo para reforçar a segurança de Jair Bolsonaro e sua família a partir da posse, em 1.º de janeiro.

A informação é de que as ameaças partiram de diferentes fontes, inclusive de facções criminosas como PCC e Comando Vermelho e, segundo o Estado apurou, existem escutas telefônicas das ameaças que estão sendo investigadas.

A ideia é adotar no Brasil algumas das medidas usadas para proteger os presidentes norte-americanos, em que os cuidados com segurança chegam a níveis máximos.

“O esquema que está sendo preparado para receber um presidente que já sofreu um atentado será muito diferente e muito mais severo do que qualquer outro titular do Planalto já viu ou teve”, afirmou Etchegoyen.

A Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e a PF se reuniram na semana passada, com Bolsonaro já eleito, para discutir o novo esquema reforçado que irá vigorar durante o governo de transição.

As tradicionais entrevistas chamadas de quebra-queixo no jargão jornalístico, nas quais o presidente fica rodeado por repórteres, por exemplo, devem acabar. Os preparativos de viagens e contato com o público também serão repensados.

A equipe de Bolsonaro estuda, ainda, abandonar o tradicional desfile em carro aberto na cerimônia de posse. O veículo que costuma ser utilizado no percurso pela Esplanada dos Ministérios é um Rolls-Royce que o Brasil recebeu de presente do governo britânico, em 1953.

Com informações do Estadão


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum