Fórumcast, o podcast da Fórum
02 de abril de 2018, 21h16

Ato histórico no Rio de Janeiro sela a união das esquerdas contra o fascismo

Lideranças de diferentes partidos, além de intelectuais e representantes da sociedade civil, encamparam discursos em defesa de uma frente contra a escalada fascista no Brasil e contra os ataques ao ex-presidente Lula. "Não podemos mais ter medo das nossas diferenças", destacou líder do PSOL

Foto: NINJA

O Ato em Defesa da Democracia, que acontece na noite desta segunda-feira (2) no Circo Voador, Rio de Janeiro (RJ), já é considerado por muitos como “histórico” pelo fato de ter reunido, em um mesmo palco, as mais importantes lideranças da esquerda contemporânea do Brasil, além de nomes da classe artística e da sociedade civil em geral. O mote do ato é a defesa da democracia e a formação de uma frente suprapartidária contra a escalada fascista no país que tem como exemplos a execução da vereadora Marielle Franco (PSOL), os atentados contra a caravana do ex-presidente Lula pelo Sul do Brasil e o evidente crescimento do discurso de ódio nas ruas e nas redes sociais.

Acompanhe a transmissão ao vivo

Nomes como Manuela D’Ávila (PCdoB), Lula (PT), Marcelo Freixo (PSOL), além de artistas como Chico Buarque ou intelectuais como Marcia Tiburi dividem o mesmo palco. A maior parte dos discursos, até agora, foram em defesa de uma unidade suprapartidária, que envolva a sociedade civil, contra a perseguição judicial ao ex-presidente Lula, os ataques fascistas que vêm vitimando nomes ligados à esquerda e em defesa da democracia que, desde o impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff, de acordo com os participantes, vem sendo ameaçada.

Veja também:  Dilma Rousseff: "#LulaLivre é um imperativo moral, uma exigência civilizatória"

Confira, abaixo, trechos de algumas das principais falas do ato.

“Aquilo que nos une é a luta pela liberdade. Mas hoje, no dia 2 de abril, somos do partido de Tiradentes. E nós também temos uma missão: de dizer que a luta democrática pela liberdade passa pela liberdade de Lula concorrer” – Manuela D’Ávila, pré-candidata à presidência pelo PCdoB

“Aqui estamos começando a erguer os tijolos de uma muralha na luta contra o fascismo. Somos todos camaradas, aprendemos duramente que construir a Frente Única não significa ter adesão de um partido sobre outro. Não podemos mais ter medo das nossas diferenças” – Valerio Arcary, líder do PSOL, que rompeu com o PT há mais de 20 anos

“Conheci muito jovem as prisões da ditadura, sei por dentro o que é o fascismo, e sei que ele tem que ser parado no início, agora, com a unidade popular!” – Carlos Minc, geógrafo, professor, ambientalista, ex-deputado e ex-ministro

“Depois do impeachment da Dilma nada ficou normal em nosso país. É como se tivessem aberto as portas do inferno” – Gleisi Hoffmann, senadora e presidenta nacional do PT

“O assassinato da Marielle foi mais um dos muitos ataques contra a democracia que estamos sofrendo. A morte do corpo da Marielle não é capaz de calar sua voz” – Mônica Tereza Benício, ex-companheira de Marielle Franco

“Estamos vivendo um delírio que é fruto de uma armação histórica que é fruto do neo liberalismo” – Marcia Tiburi, filósofa e escritora

“Sou do Movimento Negro Unificado nós vamos dar uma resposta trazendo a democracia combatendo o fascismo com Lula presidente” – Silvia Mendonça, militante do movimento negro

“Vamos estar unidos para lutar contra o fascismo, racismo, machismo e defender a democracia e a soberania nacional” – Leonardo Giordano, pré-candidato ao governo do Rio de Janeiro pelo PCdoB 

“Todos queremos as mesmas coisas, a liberdade, a igualdade, a soberania para defender o pão do povo” – Celso Amorim, ex-ministro e pré-candidato ao governo do Rio de Janeiro pelo PT


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum