Fórumcast, o podcast da Fórum
23 de agosto de 2019, 15h06

Atos em defesa da Amazônia e contra políticas ambientais de Bolsonaro tomam as ruas pelo mundo

Protestos começam a deixar as redes e ganhar as ruas. Em Londres, a manifestação foi tão expressiva que parou o centro da capital britânica

Reprodução/Twitter

Os protestos contra a política de devastação promovida pelo presidente Jair Bolsonaro na Amazônia já tomam as ruas em cidades pelo mundo nesta sexta-feira (23). Embaixadas e consulados do Brasil foram alvo de manifestações organizadas em defesa da Floresta Amazônica e contra o aumento do desmatamento e das queimadas na região. A hashtag #ActForAmazonia ganhou o topo dos assuntos do momento no Twitter.

Se você curte o jornalismo da Fórum clique aqui. Em breve, você terá novidades que vão te colocar numa rede em que ninguém solta a mão de ninguém

A primeira cidade a registrar protestos foi Genebra, na Suíça, uma das cidades que sediam a Organização das Nações Unidas, junto a Nova York. Manifestantes se concentram em frente ao escritório brasileiro pedindo fora Bolsonaro, segundo vídeo compartilhado pelo jornalista Jamil Chade no Twitter.

A partir daí a onda de protestos se expandiu para outras cidades da Europa e da Ásia. Londres (Reino Unido), Berlim (Alemanha), Mumbai (Índia), Paris (França), Berna (Suíça), Amsterdã (Holanda), Dublin (Irlanda), Madri (Espanha), Barcelona (Espanha) e Luxemburgo já registraram mobilizações. Segundo o jornalista Sérgio Utsch, do SBT, o protesto em Londres foi tão expressivo que parou o centro da capital britânica.

Há ainda previsão de mais mobilziações no exterior nesta sexta-feira (23), como em Montevideu (Uruguai), Buenos Aires (Argentina), Quito (Equador) e Lima (Peru). No Brasil, cerca de 60 cidades já confirmaram manifestações para esta sexta-feira e para o final de semana.

Pelas redes sociais, os protestos viralizaram e diversos vídeos e fotos circularam na internet.

 

 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum