terça-feira, 20 out 2020
Publicidade

Augusto Nunes, um covarde sem caráter, por Ruy Mesquita Filho

Um dos herdeiros do grupo Estado de comunicação, Ruy Mesquita Filho, já havia alertado sobre a personalidade do jornalista Augusto Nunes, que foi protagonista de um ato de covardia nesta quinta-feira (7). Durante participação no programa Pânico, da rádio Jovem Pan, Nunes se desentendeu com Glenn Greenwald, editor do The Intercept Brasil, e o agrediu com socos em pleno estúdio.

Mesquita relembrou a passagem de Nunes pelo grupo Estado. No texto, ele não usa meias palavras para dizer que o jornalista “não tem caráter, é amoral, manipulador de notícias”.

Veja abaixo o texto de Ruy Mesquita Filho, sobre quem é Augusto Nunes:

“Augusto Nunes não tem caráter, é amoral, manipulador de notícias e nisso eu provo confrontando o noticiário do Jornal da Tarde e do Estado durante a campanha presidencial e Collor. Ele tentou de todas as formas contratar uma equipa paralela em Brasília para fugir do controle da Agência Estado e com isso fazer todo tipo de maracutaia. Não conseguiu. Falava para todo mundo que iria suceder o Julio Neto no comando do jornal e pôr para fora os filhos do Ruy Mesquita. Não conseguiu. Fez o possível e o impossível para nos intrigar, sua especialidade. Não conseguiu. Nunca pôs a mão na massa. Não gosta de trabalhar. Só de aparecer. Mais: disse a ele numa reunião com meus primos e meus irmãos, além do Elói Gertel e do Sandro Vaia, que o problema dele não era o que estávamos discutindo naquela hora, mas sim que ele é um desprovido completo de uma coisa que qualquer homem sério tem: caráter. Esse foi o fim do Augusto aqui no Estado”.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.