segunda-feira, 21 set 2020
Publicidade

Autor de projeto anticotas, Fernando Holiday compara Black Lives Matter à Ku Klux Klan

Vereador é negro, porém inimigo da luta antirracista – que costuma ser uma bandeira defendida pelos liberais no mundo, mas é odiada pelo MBL, do qual ele faz parte, e que se considera referente do liberalismo no Brasil

O vereador Fernando Holiday (Patriotas-SP) voltou a mostrar seu ódio aos movimentos antirracistas, com uma comparação mais que forçada: segundo ele, o Black Lives Matter é o equivalente negro da Ku Klux Klan.

O argumento deste, que é um dos líderes do MBL (Movimento Brasil Livre), se baseia na ideia de que “as práticas do Black Lives Matter são as mesmas da Ku Klux Klan”.

No entanto, não há sequer um registro de sequestro e sacrifício de brancos queimados em fogueiras por parte do movimento antirracista estadunidense, e que é o que o movimento supremacista branco costuma fazer com os negros do sul dos Estados Unidos há várias décadas.

A tese de Holiday é baseada em apenas um vídeo onde uma pessoa (que não se sabe se é militante do movimento Black Liver Matter) atira contra um carro policial, em uma manifestação recente – Holiday acusa o que chama de “lacrosfera” de criticar sua opinião, embora ele esteja tentando “lacrar” com uma simplificação do ocorrido naquele episódio.

Outra curiosidade do caso é que a luta antirracista costuma ser defendida por movimentos liberais no mundo inteiro, mas é odiada por Holiday e seu MBL, que se considera referente do liberalismo no Brasil.

Tanto é assim que o vereador é autor de um projeto que pretende acabar com as cotas raciais na cidade de São Paulo, e que foi aprovado recentemente pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Municipal.

Victor Farinelli
Victor Farinelli
Jornalista formado pela Universidade Católica de Santos, há 15 anos é correspondente na Argentina (2004 e 2005) e no Chile (desde 2006).