sábado, 26 set 2020
Publicidade

Autorização para filmar crianças estava “implícita” em carta, afirma Vélez-Rodríguez

A autorização dos pais para filmar crianças cantando o hino nacional nas escolas era algo “implícito” no documento enviado pelo Ministério da Educação às escolas nesta segunda-feira (25). A justificativa foi dada pelo ministro da Educação, Ricardo Vélez-Rodríguez, ao ser questionado pela senadora Eliziane Gama (PPS-MA).

Além da filmagem dos alunos, a carta causou polêmica porque utilizava o slogan da campanha de Jair Bolsonaro à presidência da República, “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”, o que pode caracterizar improbidade administrativa.

“Cantar o hino nacional não é constrangimento. É amor à pátria. [O slogan] foi um erro. Já tirei. Reconheci. Foi um engano, tirei imediatamente. Quanto à filmagem, só será divulgada com autorização da família. Constava como algo implícito dentro da lei”, ele respondeu à senadora.

“Mas não estava na carta, ministro. Estava na sua cabeça”, rebateu Eliziane Gama. Vélez responde a questionamento dos senadores na Comissão da Educação sobre as prioridades de sua pasta para a área.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.

 

Mariana Branco
Mariana Branco
Jornalista formada pela UnB. Já trabalhou na cobertura de economia e política no Correio Braziliense e EBC. Especializada em Tradução. É repórter da Fórum na Sucursal de Brasília.