sábado, 26 set 2020
Publicidade

Avô de secretário de Witzel homenageou na Alerj suspeito de assassinato de Marielle

O policial militar reformado Ronnie Lessa, apontado como o autor dos 13 tiros que mataram a vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes, foi homenageado na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). O autor da honraria é o ex-deputado Pedro Fernandes Filho, já falecido, que era avô de Pedro Fernandes Neto (PDT), que atualmente é secretário de educação do governador Wilson Witzel (PSC), e pai da vereadora Rosa Fernandes (MDB).

Lessa foi preso nesta terça-feira (12), na Operação Lume. Além dele, a força-tarefa prendeu Élcio Vieira de Queiroz, suspeito de dirigir o carro que perseguiu a vereadora. Os crimes completam um ano nesta semana.

Então terceiro-sargento da PM, Lessa recebeu uma moção de congratulações, aplausos e de louvor no final do ano de 1998. Segundo a família do ex-deputado que foi autor da condecoração, já falecido, na época foram homenageados todos os 18 policiais do batalhão de Irajá (9º BPM) que realizaram uma prisão.

No texto, protocolado em 23 de novembro daquele ano, Fernandes justifica o prêmio pela maneira como Lessa e os outros policiais “vem pautando sua vida profissional como policial militar do 9 Batalhão de Polícia Militar (BPM)”.

“Sem nenhum constrangimento posso afirmar que o referido militar é digno desta homenagem por honrar, permanentemente, com suas posturas, atitudes e desempenho profissional, a sua condição humana e de militar discreto mas eficaz. Constituindo-se, deste modo, em brilhante exemplo àqueles com quem convive e com àqueles que passam a conhecê-lo”.

Com informações do G1

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.