Omar Aziz diz que novo depoimento de Pazuello “perdeu a relevância depois do vídeo do gabinete paralelo”

"Era lá que era determinado os rumos (ou a falta deles) no combate ao vírus", afirmou o presidente da CPI do Genocídio

O senador Omar Aziz (PSD-AM), presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apura as omissões do governo Bolsonaro no combate à pandemia, a CPI do Genocídio, afirmou neste domingo (6) que o novo depoimento do ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, ao colegiado, “perdeu relevância”. O motivo é o novo vídeo que veio à tona e comprova a existência de um “gabinete paralelo” que orienta Jair Bolsonaro com informações para tomada de decisões durante a crise sanitária.

Pazuello prestou depoimento à CPI no dia 19 de maio e, pelo fato dos senadores considerarem que sua oitiva foi marcada por mentiras e distorções, uma nova convocação foi aprovada no final do mês. O novo depoimento de Pazuello, ministro durante o período em que a pandemia mais se agravou no país e apontado como o principal responsável pela crise de oxigênio em Manaus, ainda não tem data marcada.

“Perdeu relevância depois do vídeo do gabinete paralelo. Era lá que era determinado os rumos (ou a falta deles) no combate ao vírus”, disse Aziz em resposta a um seguidor do Twitter que perguntou sobre a nova oitiva de Pazuello.

Novo vídeo do gabinete paralelo

O “Ministério Paralelo” do governo de Jair Bolsonaro, acusado de munir o presidente com orientações negacionistas na pandemia do coronavírus, tinha o deputado Osmar Terra (MDB-RS) como “padrinho”. Em vídeo divulgado pelo jornal Metrópoles, o parlamentar aparece ao lado do presidente em uma reunião que seria do grupo.

O encontro com o presidente ocorreu no dia 8 de setembro em uma sala de reuniões do Planalto, pouco menos de um mês depois da Pfizer fazer a sua primeira oferta de vacinas ao governo brasileiro. No vídeo do encontro, há trechos explícitos do virologista Paolo Zanoto desaconselhando a vacinação contra a Covid-19.

“Não tem condição de qualquer vacina estar realisticamente na fase 3”, diz o médico. “Com todo respeito, eu acho que a gente tem que ter vacina, ou talvez não”, prossegue, sem apresentar nenhuma evidência. Zanoto já afirmou em entrevistas que “não seria uma boa ideia” fazer a vacinação em massa no Brasil.

Convocação de Osmar Terra

Publicidade

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente da CPI do Genocídio, usou as redes para anunciar, nesta sexta-feira (4), que vai convocar para depor na comissão o deputado federal Osmar Terra (MDB-RS) e o médico virologista Paolo Zanotto.

“A prova definitiva da existência do Gabinete Paralelo que a CPI já investigava. Estou convocando o Sr. Osmar Terra e o Sr. Paolo Zanotto para comparecer à CPI da Covid”, postou Randolfe.

Publicidade

O presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), também se pronunciou sobre o caso, nesta sexta.

“O vídeo que vazou hoje confirma a tese do gabinete paralelo e explica porque o ministro Pazzuello dizia que a vacinação iniciaria no dia D, na hora H – Ele esperava as determinações do ‘shadow gabinet’, o gabinete da morte”, postou Aziz.

Avatar de Ivan Longo

Ivan Longo

Jornalista, editor de Política, desde 2014 na revista Fórum. Formado pela Faculdade Cásper Líbero (SP). Twitter @ivanlongo_

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR