Baseado em nada, Russomanno diz que moradores de rua são mais resistentes à Covid por falta de banho

Para o candidato de Bolsonaro à prefeitura de São Paulo, não tomar banho pode ser um comportamento que gera mais resistência ao coronavírus - informação que não tem qualquer tipo de base científica

O candidato de Jair Bolsonaro à prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno (Republicanos), adotou a pauta da Cracolândia como uma das bandeiras de sua campanha. Nesta eleição, no entanto, o deputado e apresentador de televisão resolveu adotar uma estratégia menos repressiva para tratar do tema, diferentemente do que fez em 2016, quando propôs “isolar a região”.

Em declaração feita nesta terça-feira (13) durante encontro com representantes da Associação Comercial de São Paulo, no entanto, Russomanno voltou a demonstrar seu olhar higienista com relação à população em condição de vulnerabilidade social.

Ele disse, ao criticar as medidas de isolamento contra o coronavírus adotadas pelo atual prefeito, Bruno Covas (PSDB), que pessoas em situação de rua e frequentadores da Cracolândia podem ser “mais resistentes” à Covid-19 por, supostamente, não tomarem banho.

“Todo mundo esperava que a Covid tomasse conta de todo mundo, até porque, eles não têm o afastamento que foi pré-estabelecido pela OMS…e, eles estão aí, nós temos casos pontuais, e não temos uma quantidade imensa de moradores de rua com problema de Covid. Talvez eles sejam mais resistentes do que a gente, porque eles convivem o tempo todo nas ruas, não tem como tomar banho todos os dias, etc e tal”, disparou o bolsonarista, que lidera as pesquisas de intenção de votos.

A possibilidade de pessoas que não tomam banho serem mais resistentes à doença causada pelo coronavírus, no entanto, não encontra qualquer respaldo científico. As recomendações de especialistas para evitar o contágio da Covid-19, inclusive, passam, principalmente, pela manutenção de hábitos básicos de higiene, como lavar as mãos com frequência.

Não há dados consolidados para que a declaração de Russomanno sobre uma suposta resistência da população de rua à Covid-19 encontre respaldo. Números da prefeitura de São Paulo, por exemplo, mostram que, de abril a agosto, 294 pessoas em situação de rua foram diagnosticadas com Covid-19. Desse total, 30 foram a óbito. A quantidade, no entanto, pode ser ainda maior, já que muitas pessoas em situação de rua não possuem cadastro junto às secretarias responsáveis para que possam ser monitoradas.

Avatar de Ivan Longo

Ivan Longo

Jornalista e repórter especial da Revista Fórum.

Em 2021, escolha a Fórum.

Todos os dias Fórum publica de 80 a 100 matérias desde às 6h da manhã até à meia-noite. São 18h de textos inéditos feitos pela equipe de 10 jornalistas da redação e também por mais de três dezenas de colaboradores eventuais.

E ainda temos 3 programas diários no YouTube. O Fórum Café, com Cris Coghi e Plínio Teodoro, o Fórum Onze e Meia, com Dri Delorenzo e este editor, e o Jornal da Fórum, com Cynara Menezes. Além de vários outros programas semanais, como o Fórum Sindical, apresentado pela Maria Frô.

Tudo envolve custos. E é uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar neste ano, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

É fácil. Clique em apoiar e escolha a melhor forma de escolher a Fórum em 2021.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR