Batendo recordes, Maranhão terá a 1ª cidade 100% vacinada

Anúncio foi feito pelo governador Flávio Dino nesta terça-feira

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), anunciou nesta terça-feira (15) que a cidade de Alcântara terá 100% de cobertura vacinal entre a população adulta a partir desta quarta-feira (16). Com isso, o município será o primeiro do país a ter imunização completa através do Programa Nacional de Imunizações (PNI).

“Amanhã: a bela e histórica Alcântara será a 1ª CIDADE 100% VACINADA. Garantimos o acesso de toda a população-alvo à 1ª dose da vacina. Seguimos lutando para avançar em todas as regiões, com os Arraiais da Vacinação e o trabalho conjunto com os municípios”, anunciou o governador em seu perfil no Twitter.

O vice-governador do estado, Carlos Brandão (REP), afirmou que a imunização de Alcântara deve ser um “símbolo para o Brasil”. O município possui mais de 22 mil habitantes e tem o maior número de quilombos no Brasil, onde vivem 204 comunidades e mais de 3,3 mil famílias.

Dino tem trabalhado para acelerar a imunização com os chamados “Arraiais da Vacinação”, um “mutirão” de vacinação ininterrupta por um período de tempo em determinadas cidades e que está contemplando pessoas com faixas de idade cada vez menores.

Nesta terça, o governador ainda anunciou uma nova estratégia para estimular que a população tome a segunda dose da vacina: o sorteio de prêmios.

Serrana

O caso de Alcântara é diferente da cidade de Serrana (SP), que vacinou toda a sua população em razão de uma pesquisa do Instituto Butantan, o Projeto S.

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e pela América Latina, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum Global

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR