Fórumcast, o podcast da Fórum
06 de fevereiro de 2018, 11h10

Bloco encontrado pela PF na casa de Rocha Loures sugere estratégia para derrubar Dilma

São apontadas "ações" a serem realizadas como “Ele está indeciso"; "Trabalho junto aos prefeitos e doadores"; "Anúncio pago em jornal interior"

São apontadas “ações” a serem realizadas como “Ele está indeciso”; “Trabalho junto aos prefeitos e doadores”; “Anúncio pago em jornal interior”

Da Redação*

A Polícia Federal apreendeu um bloco de anotações durante a Operação Patmos, deflagrada em maio de 2017 como desdobramento da delação premiada do grupo J&F.

Um trecho em especial sugere uma estratégia pró-impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

Anotações encontradas pela PF em poder de Rodrigo Rocha Loures (Foto: Reprodução)

Imagem: Reprodução PF

São apontadas, em duas páginas, “ações” a serem realizadas. Não existe indicação de quem se encarregaria delas. Aparecem listadas, entre outras, ações como “Distribuir folhetos base” com os dizeres “Vamos ajudar deputado a decidir. Ele está indeciso”; “Trabalho junto aos prefeitos e doadores”; “Anúncio pago em jornal interior”; ou “Faixa na frente casa — Aqui tem um deputado indeciso => raio de 1 km da casa”.

Anotações encontradas pela PF em poder de Rodrigo Rocha Loures (Foto: Reprodução)

Imagem: Reprodução PF

A folha de abertura traz uma informação: em caso de perda, recompensa-se com R$ 200. A pessoa a ser procurada atende pelo nome de Rodrigo Rocha Loures, o ex-assessor especial do presidente Michel Temer preso após ser flagrado recebendo propina do grupo empresarial comandado pelos irmãos Joesley e Wesley Batista.

O bloco estava na casa de Rocha Loures em Brasília e passou a fazer parte do conjunto de documentos anexados às investigações que tramitam no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o presidente da República. Está recheado de anotações datadas de 2015 e 2016, quando Rocha Loures assessorava Temer na Vice-Presidência. São rabiscos valiosos que ajudam a entender mais sobre a engrenagem que movimenta a capital do país. Há referências a nomeações de apadrinhados políticos, a verbas do Orçamento para satisfazer a base aliada, a reuniões com empresários, a números da economia.

*Com informações da coluna Expresso, da Época

Foto: Rodrigo Rocha Loures, Henrique Alves, Michel Temer e Eliseu Padilha assistem à sessão do impeachment/Reprodução

 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum