Fórumcast, o podcast da Fórum
16 de maio de 2019, 17h01

Bloqueios na educação atingem até 54% dos recursos das universidades federais, alerta Andifes

Entidade que representa os reitores das instituições federais se reuniu com o ministro da Educação e divulgou os números do corte orçamentário

Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

A Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), que representa os reitores das universidades federais, se reuniu nesta quinta-feira (16) com o ministro da Educação, Abraham Weintraub. Na ocasião, foi divulgado um “painel dos cortes”.

Trata-se de um sistema no qual informa os números do corte orçamentário promovido pelo Ministério da Educação (MEC) às instituições federais de ensino. De acordo com o levantamento, o percentual retido pode chegar a 54% das verbas não obrigatórias em algumas universidades.

Os bloqueios orçamentários variam de 15,82%, na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), a 53,96%, na Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), por exemplo, conforme dados da Andifes.

As porcentagens foram calculadas para as despesas não obrigatórias (chamadas de discricionárias). São formadas por dois tipos: custeio (contas de luz, água, telefone, pagamento de terceirizados, verba para pesquisas) e investimento (obras e seus equipamentos).

Repasse

Os reitores da Andifes cobraram do ministro o repasse da verba que não foi contingenciada. Antônio Paulo Vogel, secretário executivo do Ministério da Educação, disse que Weintraub está recebendo os reitores das universidades e que “casos particulares serão tratados de forma particular”.

 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum