Bolsonaristas somem nas redes no 3J e PT celebra

Manifestações aconteceram em todo o Brasil neste sábado

Levantamento feito pelo cientista de dados Pedro Barciela mostra que o bolsonarismo foi sufocado nas redes sociais diante das enormes manifestações da jornada de protestos do #3J contra o presidente Jair Bolsonaro, que reuniram ao menos 800 mil pessoas nas ruas segundo organizadores.

“Meio milhão de interações pelo #3JForaBolsonaro. Alguns pontos: A pressão pelo impeachment faz Lira (1) ser ENGOLIDO pelo antibolsonarismo; o bolsonarismo representando menos de 20% das interações e; clusters INTERNACIONAIS destacando a corrupção no governo Bolsonaro”, disse Barciela.

“O grupamentos da Tailândia e da Índia destacaram o caso Covaxin, explorando negativamente a imagem de Bolsonaro. O governo viu ainda um baixo engajamento de atores ligados ao bolsonarismo. Tentaram apenas, em poucos tweets, desmerecer as manifestações, porém sem sucesso”, completou.

O levantamento animou o PT, um dos partidos que atuou na construção dos atos deste sábado. “Não há mais espaço nas redes para o bolsonarismo!”, publicou a conta oficial da sigla.

3J

São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Brasília, Belo Horizonte e Porto Alegre reuniram multidões neste sábado. O deputado federal Marcelo Freixo (PSB-RJ), líder da Minoria na Câmara, disse à jornalista Julia Chaib, da Folha de S. Paulo, que os atos deste 3J foram maiores que os anteriores e pressionam o presidente da Câmara, Arthur Lira, a pautar o impeachment. Estimativas apontam para 800 mil presentes.

As vítimas do genocídio promovido pelo governo diante da pandemia da Covid-19 foram lembradas nos atos. Familiares e amigos levaram faixas e cartazes em homenagem àqueles que se foram nesse duro período. Números atualizados neste sábado apontam para 523.587 mortos, sendo 1.635 óbitos registrados nas últimas 24h.

Notícias relacionadas

Confira o gráfico:

Publicidade
Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e pela América Latina, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum Global

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR