O que o brasileiro pensa?
05 de dezembro de 2019, 10h12

Bolsonaro afronta STF e se nega a divulgar gastos com cartão corporativo

Portal da Transparência guarda em segredo a forma como foram gastos R$ 9,8 milhões do cartão corporativo do presidente

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Mesmo com a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em derrubar o sigilo de gastos da presidente da República, Jair Bolsonaro continua a negar acesso ao extrato de seu cartão corporativo. Decisão do Supremo entrou em vigor no dia 11 de novembro, há quase um mês.

No entanto, até agora, o Portal da Transparência sustenta em segredo a forma como foram gastos R$ 9,8 milhões do cartão corporativo de Bolsonaro, tanto na Presidência da República quanto em órgãos como o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e a Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

O valor representa o maior gasto no período desde 2014, durante a gestão de Dilma Rousseff (PT). Na vice-presidência, outros R$ 468,5 mil também continuam em sigilo.

Esta não é a primeira vez que o governo Bolsonaro toma atitudes contrárias à transparência das informações públicas. Em janeiro, o então presidente em exercício, Hamilton Mourão, alterou a Lei de Acesso à Informação (LAI) para dificultar o acesso a dados e documentos do governo federal.

Decisão de Mourão buscava ampliar o número de servidores públicos com poder para colocar informações em sigilo. No entanto, projeto acabou derrubado pelo Congresso em fevereiro.

 

 

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum