Bolsonaro apoia “fura-fila” de empresários na vacinação contra Covid, diz Wizard

Mentor da proposta, ao lado do veio da Havan, Carlos Wizard diz que recebeu documento do governo oferecendo apoio para compra de vacinas pelo setor privado. "Em total consonância e harmonia com o Ministério da Saúde”

Um dos mentores da proposta de “fura-fila” das vacinas, com a compra de imunizantes pelo setor privado, que foi aprovada na Câmara na última terça-feira (6), o empresário Carlos Wizard, fundador da rede de escolas de inglês que leva seu sobrenome, diz que o governo Jair Bolsonaro é conivente com a medida.

“Recebemos um documento do ministério nos autorizando e oferecendo apoio para essa iniciativa. O trabalho é em total consonância e harmonia com o Ministério da Saúde”, afirmou em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo.

Segundo Wizard, a questão não é furar filas, mas formar “novas filas”. “Queremos formar várias filas, a do SUS, e as nossas filas, junto da sociedade civil organizada, através dos empresários”.

Parceiro de Luciano Hang, o veio na Havan, na empreitada, o empresário, no entanto, não negou que os empresários esteja dispostos a pedir dedução da compra dos imunizantes no imposto de renda. “Não estamos em clima de troca troca, de buscar alguma vantagem”, afirmou.

STF
O deputado federal Henrique Fontana (PT-RS) informou, na tarde desta quarta-feira (7), que a bancada do PT na Câmara entrará com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para barrar o projeto.

“Nós nos opusemos à votação desse projeto ontem à noite e continuaremos a nos opor. Iremos aos tribunais, ao Supremo Tribunal Federal para evitar o fura-fila vergonhoso. Milhões de brasileiros com comorbidade e com grande risco de morrer estarão nas filas, enquanto jovens, empresários ricos, aqueles que detêm poder econômico, compram uma nova porta de entrada para fazer suas vacinas”, disse Fontana.

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.