Fórumcast, o podcast da Fórum
15 de agosto de 2019, 07h16

Bolsonaro critica polêmica sobre a avó de Michelle e diz que “parente bom é parente longe”

Irritado com a repercussão do caso, o presidente ainda disse que o SUS deve atender a todos, "sem privilégios"

Bolsonaro e Michelle (Reprodução/Youtube)

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) criticou nesta quarta-feira (14) a polêmica que se criou sobre a avó de Michelle Bolsonaro, a idosa Maria Aparecida Firmo Ferrera, de 78 anos, internada por dois dias em uma maca no corredor do Hospital de Ceilândia, na periferia de Brasília. “O meu pai dizia lá trás: ‘Parente bom é parente longe'”, comentou o presidente, irritado com a repercussão do caso.

“Como é que pode uma senhora que trata de deficientes abandonar a vovozinha querida, né. Isso aí que a Folha de S.Paulo fez. Não desiste”, criticou o presidente, em declarações feitas em frente ao Palácio da Alvorada, localizado a 37 km da Ceilândia.

Bolsonaro também alegou que o SUS (Sistema Único de Saúde) deve atender a todos, sem privilégios. “O SUS é para todos. Não vai ter um SUS pessoal para o Bolsonaro, presidente. O SUS é para todo mundo”, disse. No entanto, meia hora depois da reportagem da Folha ter procurado o governador do Distrito Federal, a idosa foi transferida para uma unidade com mais estrutura, o Hospital de Base.

O presidente ainda comentou a relação dele com a avó da primeira-dama, dizendo que teve contato com a idosa apenas “uma vez na vida”. Acrescentou dizendo que a avó de Michelle “tem vida pessoal, é bastante idosa. Pessoa completamente livre, né. Não sei o relacionamento dela com seus oito filhos, não sei, está certo!? E isso é família, né”. Em seguida, o presidente reproduziu a fala do pai, de que “parente bom é parente longe”, e acrescentou: “Cunhado, para que serve cunhado? Para buscar cerveja na geladeira, mais nada”.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum