Apesar de aceno de Bolsonaro, dirigentes do PP vão encontrar Lula

Bolsonaro confirmou nesta quinta que o presidente do PP, Ciro Nogueira, será ministro da Casa Civil

Apesar de o presidente Jair Bolsonaro confirmar que dará o ministério da Casa Civil ao presidente nacional do Progressistas (PP), senador Ciro Nogueira, lideranças do PP no Nordeste pretendem se encontrar com o ex-presidente Lula durante a caravana do ex-mandatário pela região.

Segundo informações do jornalista Gustavo Uribe, da CNN Brasil, Lula deve se reunir com dirigentes da legenda na Bahia e em Pernambuco. O vice-governador baiano, João Leão, e deputados pernambucanos estariam previstos na agenda.

Ainda sem uma agenda pública divulgada, o ex-presidente deve partir para o giro no Nordeste no fim de julho.

Segundo a CNN, a intenção de Lula seria de mostrar que o PP não está totalmente fechado com Bolsonaro. Um encontro com Nogueira era defendido por correligionários, mas a opção foi descartada após o ingresso na Casa Civil.

Em entrevista na manhã desta quinta-feira (22), Bolsonaro confirmou que Nogueira entrará para o governo. Na ocasião, o presidente disse que “o Centrão é um nome pejorativo”. “Eu sou do Centrão. Eu fui do PP metade do meu tempo. Fui do PTB. Fui do então PFL”, disse ainda.

Nogueira foi eleito senador pelo Piauí na mesma chapa do governador Wellington Dias (PT). Em entrevista realizada em 2017, o senador rasgou elogios a Lula e chamou Bolsonaro de fascista.

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e latino-americanista convicto, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum América Latina

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR