Fórumcast, o podcast da Fórum
14 de julho de 2019, 17h22

Bolsonaro diz que é católico, mas discorda do Papa Francisco em relação a Lula

"Sabemos que os religiosos, os cristãos, sempre vão para o perdão. Da minha parte, espiritualmente, admiro o Papa Francisco e, nessa questão pessoal, como ser humano, não compartilho com as ideias dele sobre Lula", disse Bolsonaro

Papa Francisco, com camiseta Lula Livre, e Bolsonaro (Montagem)

O presidente Jair Bolsonaro (PSL), em entrevista divulgada pelo jornal argentino Clarín neste domingo (14), afirmou que discorda do Papa Francisco sobre a prisão do ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O pontífice pediu ao ex-presidente, através de uma carta enviada em maio deste ano, que não desanimasse, nem deixasse de acreditar em Deus.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

“Sou católico e respeito o Papa […] Creio que é uma opinião pessoal do Papa em relação a Lula. Sabemos que os religiosos, os cristãos, sempre vão para o perdão. Eu reconheço isso no coração do Papa. Da minha parte, espiritualmente, admiro o Papa Francisco e, nessa questão pessoal, como ser humano, não compartilho com as ideias dele sobre Lula, que causou um grande mal ao Brasil”, respondeu Bolsonaro.

Questionado pelo Clarín se o ex-juiz e atual ministro de Justiça, Sergio Moro, teria sido imparcial no processo contra Lula, Bolsonaro defendeu, mais uma vez, um de seus pupilos. Ele disse ter acompanhado o trabalho do ex-magistrado e destacou a conduta “imparcial” do aliado, citando devoluções de valores desviados em atividades ilegais realizadas por políticos e servidores públicos.

“Então, na Argentina, ao meu entender, os juízes vão fazer o mesmo e espero que façam o mesmo em relação a Cristina Kirchner, condenando ou absolvendo, mas que se faça justiça”, comparou Bolsonaro.

Sobre as críticas a respeito da possível nomeação de seu filho Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) para a embaixada do Brasil nos Estados Unidos, ele resolveu colocar o presidente argentino, Mauricio Macri, no meio da conversa para ver se a sua ideia era aceita.

“Meu filho é amigo dos filhos de Trump, fala inglês, espanhol, é ainda jovem, essa possibilidade foi levantada e eu mencionei a possibilidade. Imagine que Macri tenha um filho embaixador aqui no Brasil. Com todo respeito aos diplomatas do mundo inteiro: com toda certeza, a minha relação com o filho de Macri seria diferente do de outro embaixador profissional”, destacou.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum