Bolsonaro mente para dizer que Vera Magalhães mentiu

O presidente afirmou que o vídeo compartilhado por ele é de 2015, mas se contradiz ao citar episódio da facada

Em live presidencial realizada nesta quinta-feira (27), o presidente Jair Bolsonaro direcionou ataques à jornalista Vera Magalhães, do Estado de S. Paulo, que divulgou que o mandatário estaria usando conta pessoal no WhatsApp para convocar mobilização do dia 15 de março, que afronta do STF e o Congresso.

“A Vera mentiu. Eu quero que a Vera mostre o vídeo em que eu estou convocando as pessoas para isso”, afirmou o presidente. Segundo ele, o vídeo compartilhado teria sido produzido em 2015: “Tem um (vídeo) de 2015, que, por coincidência, no 15 de março houve um movimento, que foi num domingo”.

No entanto, o mandatário se contradiz em outro momento da transmissão ao vivo, ao dizer que o vídeo conta a vida dele e o episódio da facada – que ocorreu em 2018.

“Ela [Vera] não mostra o vídeo. Ela printou o vídeo. A pessoa que passou pra ela, ela printou e passou o vídeo. O vídeo dela não tem nada a ver, porque conta minha vida, a facada”, declarou.

O vídeo revelado pela jornalista Vera Magalhães traz imagens da facada sofrida por Bolsonaro em 2018, durante ato em Juiz de Fora, e diz que presidente “quase morreu” para salvar o país. Dessa forma, pede que as pessoas saiam às ruas no dia 15 de março para defender o presidente e pressionar o Congresso.

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.