Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
01 de março de 2018, 15h16

Bolsonaro move queixa-crime contra Ciro Gomes por calúnia e injúria

De acordo com a ação protocolada por Bolsonaro, Ciro Gomes “agiu dolosamente, com especial fim de ofender a honra alheia"

Segundo Bolsonaro, Ciro Gomes cometeu o crime de calúnia, ao comentar o caso de uma doação eleitoral da JBS ao PP, então partido do deputado – Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Fotos Públicas

O deputado federal e presidenciável Jair Bolsonaro (PSC-RJ) processou criminalmente o também candidato a presidente Ciro Gomes (PDT-CE) por uma entrevista que ele concedeu ao programa “Pânico na Rádio”, na Jovem Pan FM. O caso tramita desde o começo deste mês na primeira instância do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJSP) sob o número 1000084-04.2018.8.26.0050. As informações são do Jota.

Segundo Bolsonaro, Gomes cometeu o crime de calúnia, ao comentar o caso de uma doação eleitoral da JBS ao PP, então partido do deputado. O PP havia repassado R$ 200 mil a Bolsonaro, que devolveu o dinheiro à legenda, porque não desejava receber recursos de nenhuma empresa privada em sua campanha. Semanas mais tarde, o deputado voltou a receber o dinheiro do partido, mas desta vez vinculado ao fundo partidário.

Ao comentar o caso, Gomes disse o seguinte: “A JBS depositou R$ 200 mil na conta dele, Jair Messias Bolsonaro, deputado federal! E mais outro tanto na bolsa, na do filho dele. Ele, quando viu, resolveu estornar o dinheiro, não pra JBS. Eu, se tô indignado, o cara depositou na minha conta sem a minha autorização, eu devolvo pra ele, e mando ele pastar, pra não dizer aquela outra frase que termina no monossílabo tônico. Não, o que ele faz, ele devolve para o partido, que na mesma data entrega R$ 200 mil pra ele. O nome disso é lavagem de dinheiro. Simples assim”.

De acordo com a queixa-crime protocolada por Bolsonaro, Ciro Gomes “agiu dolosamente, com especial fim de ofender a honra alheia: a deliberada distorção do ocorrido teve como objetivo precípuo causar danos à imagem e à ótima reputação” do deputado “perante a opinião pública e seus eleitores”. Além disso, segundo a queixa-crime, Ciro também teria cometido o crime de injúria, durante a entrevista, ao dizer que o deputado seria um “moralista de goela”.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum