A 11 meses para a eleição, Bolsonaro já recua de debates: “Que não entre coisa de família”; vídeo

Bolsonaro quer que emissoras "sigam à risca" suas condições para participar de debates; em 2018, ele fugiu de embates com Fernando Haddad (PT)

A campanha eleitoral sequer começou, mas Jair Bolsonaro já sinaliza que pode repetir o que fez em 2018 e fugir dos debates. Em entrevista ao jornalista bolsonarista Luís Ernesto Lacombe, da RedeTV, o presidente afirmou que vai participar dos debates, mas quer pautar que tipo de assunto será discutido.

Um dos assuntos que podem fazer Bolsonaro deixar de ir aos debates são questões sobre sua família. Ele estabeleceu algumas condições.

“Eu pretendo participar de debates (…) Agora, não posso aceitar provocações. Coisas pessoais, tá? Porque aí realmente você foge da finalidade de um bom debate. E eu espero que as televisões que porventura forem organizar o debate que levem à risca bastante essa questão. É pra falar sobre o meu mandato. Mas que não entre coisas de amigo, de família, que não vai levar a lugar nenhum”, disparou.

Assista ao trecho da declaração.

Fuga

Na mesma entrevista, Bolsonaro disse que não foi aos debates em 2018 por conta da facada que sofreu em Juiz de Fora (MG) durante a campanha.

Acontece que o então candidato, no dia 4 de outubro daquele ano, alegou que não poderia comparecer ao debate da Globo por conta da recuperação da cirurgia a que foi submetido mas, no mesmo dia, concedeu entrevista exclusiva à Record.

Além disso, já durante a campanha do segundo turno, não compareceu aos debates com Fernando Haddad (PT) mesmo já tendo sido autorizado por seus médicos.

Publicidade
Avatar de Ivan Longo

Ivan Longo

Jornalista, editor de Política, desde 2014 na revista Fórum. Formado pela Faculdade Cásper Líbero (SP). Twitter @ivanlongo_

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR