Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
05 de novembro de 2019, 11h53

Bolsonaro retira proteção ambiental de manguezais após áreas serem atingidas por óleo

Medida busca facilitar a exploração da carcinicultura nos manguezais, fragilizando ainda mais os ecossistemas

Foto: Clemente Coelho Júnior/Divulgação

Enquanto os manguezais sofrem com o vazamento de óleo que atinge o litoral nordestino desde o final de agosto, o governo de Jair Bolsonaro (PSL) alterou o plano de proteção desses ecossistemas, o que pode fazer com que essas áreas fiquem ainda mais fragilizadas. A mudança foi feita a pedido do secretário da Pesca, o mesmo que afirmou que os peixes são “inteligentes”.

O responsável pela alteração no plano de proteção aos mangues foi o presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão ligado ao Ministério do Meio Ambiente. Mesmo criticado pelo conselho técnico do instituto, Homero de Giorge Cerqueira publicou no último dia 30 uma alteração no Plano de Ação Nacional (PAN) para os manguezais, revogando um item que previa ações para a erradicação de carcinicultura (criação de camarão em cativeiro) e a recuperação dos sistemas já afetados por estas práticas.

A mudança foi feita a pedido do secretário da Pesca, Jorge Seif Júnior, o mesmo que afirmou na última quinta-feira (31) que os peixes são inteligentes e fogem quando veem óleo e, por isso, não haveria problema em comer pescado das regiões atingidas no Nordeste.

A carcinicultura, explica a oceanógrafa Yara Schaeffer-Novelli em entrevista ao Estado de S.Paulo, é danosa para os manguezais, que servem de berçário para diversas espécies, além de serem fonte econômica para comunidades de pescadores e marisqueiras. “A exclusão desse item acaba fazendo com que esses resultados sejam jogados para debaixo do tapete”, disse.

Em entrevista à Fórum, o professor de Oceanografia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Givan Yogui, confirmou a complexidade dos manguezais e alertou para a demora que o ecossistema vai levar para se recuperar do vazamento de óleo. “Nas praias, com as ondas batendo o tempo todo, é capaz que seja mais rápido. Agora, os estuários e os manguezais, dependendo da quantidade de óleo, vai levar eu diria mais de 10 anos pro ambiente se recuperar. Porque são ambientes onde têm uma renovação de água muito baixa, e o óleo acaba impregnando na lama, então ele pode ficar ali durante muito tempo”, contou.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum