Fórumcast, o podcast da Fórum
20 de julho de 2019, 19h28

Bolsonaro tenta escapar de declaração contra nordestinos com não disse o que eu disse

"Falaram agora que eu estou criticando o Nordeste, você viu? Dois governadores, o do Maranhão e da Paraíba que são intragáveis", disse o presidente tentando fugir de declaração xenofóbica em que chama nordestinos de "paraíba"

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Após a forte repercussão de frase em que aparece chamando nordestinos de “paraíba”, o presidente Jair Bolsonaro declarou neste sábado (20) que foi mal compreendido e na verdade dirigia suas críticas especificamente aos governadores do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), e da Paraíba, João Azevêdo (PSB).

“Falaram agora que eu estou criticando o Nordeste, você viu? Dois governadores, o do Maranhão e da Paraíba que são intragáveis”, disse o presidente tentando fugir da polêmica.

Em áudio divulgado nesta sexta-feira (20), Bolsonaro conversa com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni sem saber que estava sendo gravado e dispara: “Dentre os governadores de ‘paraíba’, o pior é esse do Maranhão. Não tem que ter nada com esse cara”.

Com a repercussão negativa ele agora direciona a crítica. “Eu fiz uma crítica ao governador do Maranhão e da Paraíba. Vivem me esculhambando. Obras federais vão para lá. Dizem que é deles. Não são deles, é do povo. A crítica foi a esses dois governadores. Nada mais além disso. Uma crítica em três segundos. Em três segundo vocês da mídia fazem uma festa”, reclamou.

Veja também:  Globo torce por privatizações de Bolsonaro e escala "especialistas" para falar sobre "eficiência"

Bolsonaro também comentou a carta feita pelos governadores do Nordeste contra a declaração, dizendo ser movida por questões ideológicas. “Eles são unidos. Eles têm uma ideologia. Perderam as eleições e tentam o tempo todo através das desinformações manipular eleitores nordestinos”, declarou.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum