Fórumcast, o podcast da Fórum
25 de julho de 2019, 10h58

Bolsonaro vai tirar policiais das ruas para colocar em escolas militares

O decreto publicado nesta quinta-feira (25) ainda autoriza que oficiais atuem na administração de unidades de conservação ambiental e em órgãos do Poder Legislativo

Bolsonaro durante desfile dos Artilheiros da Reserva, da Ativa e de Alunos da Escola Militar em Santa Maria (RS) (Foto: Alan Santos/PR)

Em decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro publicado nesta quinta-feira (25) no Diário Oficial da União(DOU), policiais militares e bombeiros da ativa estão autorizados a atuarem em unidades de ensino cívico-militares.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

A medida, que tem como objetivo impulsionar o ensino militarizado, uma das bandeiras de campanha de Bolsonaro, agora permitir tirar militares que atuam na segurança das ruas para colocá-los nas escolas. Conforme anunciado pelo MEC no dia 11 de julho, o governo pretende criar 108 novas escolas cívico-militares até 2023, 27 por ano.

Nesse modelo proposto, a gestão é compartilhada entre civis e militares, que atuam principalmente no papel de tutores. No decreto, o presidente permite que militares da ativa atuem na gestão de escolas públicas estaduais, distritais e municipais, abrindo caminho para o projeto.

Além disso, o texto autoriza que oficiais atuem na administração de unidades de conservação ambiental e em órgãos do Poder Legislativo. A relação do órgãos federais de meio ambiente com os militares no Governo Bolsonaro é notória. No Instituto Chico Mendes, a presidência e as diretorias do estão ocupadas exclusivamente por policias militares (dois coroneis, um tenente-coronel e dois majores).


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum