Fórumcast #19
18 de agosto de 2018, 15h29

Bolsonaro volta a pedir saída do Brasil do Conselho de Direitos Humanos da ONU

A manifestação acontece um dia depois de o órgão determinar que o País permita o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) de disputar a eleição presidencial

Foto: Agência Câmara

O candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL) voltou a defender, na manhã deste sábado (18), em sua conta pessoal no Twitter, a saída do Brasil do Conselho de Direitos Humanos da ONU. A manifestação acontece um dia depois do órgão determinar que o País permita o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) de disputar a eleição presidencial.

“Há mais ou menos 2 meses falei em entrevista que já teria tirado o Brasil do conselho da ONU, não só por se posicionarem contra Israel, mas por sempre estarem ao lado de tudo que não presta. Este atual apoio a um corrupto condenado e preso é só mais um exemplo da nossa posição”, escreveu Bolsonaro.

Veja também:  Instituto que deu prêmio a Dallagnol é bancado por entidade onde Eduardo Bolsonaro forjou pós-graduação

Lula Candidato

O Comitê de Direitos Humanos da ONU acolheu, nesta sexta-feira (17), pedido liminar da defesa do ex-presidente e candidato à presidência pelo PT, Luiz Inácio Lula da Silva para que Estado Brasileiro que “tome todas as medidas necessárias para que para permitir que o autor [Lula] desfrute e exercite seus direitos políticos da prisão como candidato nas eleições presidenciais de 2018, incluindo acesso apropriado à imprensa e a membros de seu partido político”.

A decisão reconhece a existência de violação ao art. 25 do Pacto de Direitos Civis da ONU e a ocorrência de danos irreparáveis a Lula na tentativa de impedi-lo de concorrer nas eleições presidenciais ou de negar-lhe acesso irrestrito à imprensa ou a membros de sua coligação política durante a campanha.

 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum