Barraco na Saúde: Capitã Cloroquina registra B.O. contra chefe de gabinete de Queiroga

João Lopes Araújo, chefe de gabinete do ministério, acusa Mayra Pinheiro e o ministro do Trabalho, Onyx Lorenzoni, de conspiração para derrubar Queiroga: "vai ver a mão de Deus"

Mantida no cargo por Jair Bolsonaro (Sem partido) desde a gestão Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS) por traçar a estratégia de propagação do chamado “kit Covi”, a secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Mayra Pinheiro, a Capitã Cloroquina, é protagonista de um barraco no Ministério da Saúde juntamente com o chefe de gabinete do ministro Marcelo Queiroga, João Lopes de Araújo Júnior.

Notícias relacionadas

Segundo informações da rádio CBN, Mayra Pinheiro registrou um boletim de ocorrência (B.O.) por ameaça contra Araújo Júnior. A Capitã Cloroquina diz estar sendo ameaçada e acusada injustamente.

Por sua vez, o assessor direto de Queiroga acusa Mayra de atuar juntamente com Onyx Lorenzoni (DEM-RS), ministro do Trabalho, de conspiração para derrubar o ministro.

Segundo Araújo Junior, Mayra está “cometendo um crime” e “não tem qualquer lealdade ao ministro”. Ele ainda ameaça, dizendo para que a Capitã Cloroquina tenha cuidado e se prepare porque “vai ver a mãe de Deus”.

Segundo a reportagem, no B.O. Mayra anexou imagens e arquivos de áudio e vídeo de mensagens recebidas do assessor de Queiroga.

Lorenzoni, por sua vez, sempre desejou colocar à frente da pasta seu conterrâneo, o deputado gaúcho Osmar Terra (MDB-RS), que seria um dos chefes do gabinete paralelo e é tido pela CPI como ministro de fato da saúde.

O caso foi registrado na Polícia Civil do Distrito Federal e remetido à Polícia Federal por envolver o Ministério da Saúde, cuja competência é da União.

Notícias relacionadas

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.