Bolsonaro admite que quer legalizar matança para reprimir protestos: “Pode morrer inocente”

Com medo de que os atos que acontecem no Chile se repitam no Brasil, Bolsonaro afirmou que quer reprimir manifestações no Brasil com o projeto de lei que retira punições de militares e policiais durante operações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO)

Pela primeira vez, Jair Bolsonaro admitiu na noite desta segunda-feira (26) que quer usar o projeto de lei que institui o excludente de ilicitude em operações para Garantia da Lei e da Ordem (GLO) para reprimir possíveis protestos, como os que estão acontecendo no Chile contra as políticas neoliberais de Sebastián Piñera.

Bolsonaro se referiu aos atos como “vandalismo” e “terrorismo” para justificar o uso da força por militares, que sob proteção do projeto de lei não responderiam por crimes cometidos durante a repressão.

“Protesto é uma coisa, vandalismo, terrorismo é outra completamente diferente. Vai tocar fogo em ônibus, pode morrer inocente, vai incendiar bancos, vai invadir ministério, isso aí não é protesto. E se tiver GLO já sabe que se o Congresso nos der o que a gente está pedindo, esse protesto vai ser simplesmente impedido de ser feito”, afirmou, ao responder se tem medo que os atos que ocorrem no Chile aconteçam também no Brasil.

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR