Transtornado, Bolsonaro arranca a máscara e grita com jornalista da Globo: “Cala a boca”; veja vídeo

"Você tinha que ter vergonha na cara de prestar um serviço porco desse que você faz na Rede Globo", gritou Bolsonaro com a jornalista após voltar a citar Willian Bonner e Miriam Leitão ao falar da pandemia

Visivelmente transtornado, Jair Bolsonaro (Sem partido) gritou arrancou a máscara e mandou uma jornalista da TV Vanguarda, afiliada da TV Globo, calar a boca após evento na Escola de Especialistas de Aeronáutica, em Guaratinguetá, no Vale do Paraíba, em São Paulo.

Leia também: Bolsonaro ignora 500 mil mortos e faz piada: “Quem tiver Covid procure o doutor Willian Bonner”

“Eu chego onde eu quiser, como eu quiser, eu cuido da minha vida. Se você não quiser usar máscara, você não usa”, disse Bolsonaro, aumentando o tom de voz e defendo o tratamento precoce que “salvou a minha vida”.

“Porque você acha que tem que consultar com o Bonner ou com a Miriam Leitão? Para de falar do assunto”, diz ele, tirando a máscara. “Bota agora, estou sem máscara em Guaratinguetá. Está feliz agora? Está feliz agora? Essa Globo é uma merda de imprensa, vocês são uma porcaria de imprensa…”, gritou Bolsonaro, quando a repórter tenta falar.

“Cala a boca. Vocês são canalhas. Um jornalismo canalha vocês fazem. Que não ajuda em nada. Vocês destroem a família brasileira, vocês destroem a religião. A Rede Globo não presta. É um péssima fonte de informação. […] Você tinha que ter vergonha na cara de prestar um serviço porco desse que você faz na Rede Globo”, gritou, abandonando a entrevista.

https://www.youtube.com/watch?v=M0Ffh0ialxs

Notícias relacionadas

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR