O que o brasileiro pensa?
05 de setembro de 2019, 14h07

Bolsonaro ataca esquerda e diz que se apontarem um lugar que deu certo “eu começo a gritar LL [Lula livre] por aí”

Em discurso com ares ditatoriais, durante ato que prevê a implantação de 216 escolas militares até 2023, Bolsonaro afirmou ainda que vai "impor" a militarização nas escolas públicas

Bolsonaro e Weintraub (Foto: Marcos Corrêa/PR)

Em cerimônia de forte cunho ideológico nesta quinta-feira (5), que prevê a implantação de 216 escolas militares até 2023, Jair Bolsonaro atacou adversários e disse que se apontarem um lugar onde um governo de esquerda deu certo, ele começa a gritar Lula livre.

Se você curte o jornalismo da Fórum clique aqui. Em breve, você terá novidades que vão te colocar numa rede em que ninguém solta a mão de ninguém

“A esquerda não deu certo em lugar nenhum do mundo. Quando me apontar um lugar que deu certo, me avise que eu mudo. E eu começo a gritar LL por aí (SIC)”, afirmou, referindo-se a Lula livre.

Bolsonaro afirmou ainda que vai “impor” a militarização nas escolas públicas. “[Se o estudante] não sabe uma regra de 3, não sabe interpretar um texto, não responde pergunta básica de ciência? Absurdo. Não tem que perguntar para o pai irresponsável nessa questão se ele quer ou não uma escola com uma, de certa forma, militarização. Tem que impor, tem que mudar. Não queremos que essa garotada cresça e vai ser pelo resto da vida dependente de programas sociais do governo”, afirmou.

Ele citou como exemplo o Distrito Federal, que adotou a militarização das escolas, parabenizando o governador Ibaneis Rocha (MDB). “Temos aqui a presença física do nosso governador do DF, Ibaneis. Parabéns, governador, com essa proposta. Vi que alguns bairros tiveram votação e não aceitaram. Me desculpa, não tem que aceitar, não. Tem que impor”.

Weintraub
Presente no ato, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirmou que vai cumprir a determinação de Bolsonaro para impor a militarização nas escolas. “Se o presidente falou, a palavra do presidente é a última palavra do Executivo. Então, está falado”, afirmou, em entrevista.

Na abertura da cerimonia, Weintraub iniciou os ataques à esqueda, com discurso altamente ideológico.

“[Que] nunca mais um regime totalitário tente ser implantado no Brasil. Nunca mais nós tenhamos uma ideologia externa tentando ser imposta aos brasileiros. Nunca mais o presidente de outro país questione a soberania deste país. Nunca mais a gente esqueça que essa bandeira jamais será vermelha”, disse o ministro, que segue a cartilha de Olavo de Carvalho para a doutrinação nas escolas.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum