Fórumcast #19
15 de julho de 2019, 08h14

Bolsonaro chama taxa ambiental de R$ 106 em Fernando de Noronha de “roubo” e diz que vai rever

Cobrada desde 2012, a taxa permite acesso ao Parque Nacional Marinho, que engloba algumas das praias mais conhecidas de Noronha, como a do Sancho e a Baía dos Porcos

Bolsonaro fotografado pescando em área de proteção ambiental, em 2012 (Foto: Divulgação)

Jair Bolsonaro classificou como “roubo praticado pelo governo federal (o meu governo)” a taxa ambiental no valor de R$ 106 para visitação da praia Sancho, em Fernando de Noronha. A crítica foi feita em publicação na sua página do Facebook no sábado (13), quando compartilhou um vídeo de turistas visitando o local.

“Isso explica porque quase inexiste turismo no Brasil. Isso é um roubo praticado pelo GOVERNO FEDERAL (o meu Governo). Vamos rever isso”, publicou, pedindo que seguidores denunciem “práticas porventura semelhantes em outros locais”.

Cobrada desde 2012, a taxa permite acesso ao Parque Nacional Marinho, que engloba algumas das praias mais conhecidas de Noronha, como a do Sancho e a Baía dos Porcos.

O valor pago pelo turista para visitar a praia é válido por dez dias. O parque é administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIO), do Ministério do Meio Ambiente.

Bolsonaro foi multado em 2012 por pesca irregular na Esec (Estação Ecológica) de Tamoios, categoria de área protegida que não permite a presença humana, em Angra dos Reis (RJ). Quando assumiu a Presidência, uma das primeiras medidas foi exonerar o fiscal do Ibama que havia aplicado a multa.

Veja também:  Bolsonaro: Novo PGR não poderá ser "xiita ambiental" ou "supervalorizar" minorias

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum