Fórum Educação
31 de março de 2020, 10h05

Bolsonaro distorce fala de diretor da OMS e diz que Witzel implanta ditadura

Bolsonaro distorceu fala de diretor da OMS ao responder pergunta sobre críticas dos próprios ministros e incitou apoiadores que diziam que jornalistas querem criar intriga entre subordinados e o presidente

Jair Bolsonaro (Reprodução)

Jair Bolsonaro repetiu o filho, Eduardo Bolsonaro, na manhã desta terça-feira (31) na porta do Palácio da Alvorada e fez uma interpretação distorcida do pronunciamento do diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, que em entrevista coletiva nesta segunda-feira (30), afirmou que o isolamento social “é a única opção que temos para derrotar esse vírus”.

Assim como o filho, que o acompanhava, Bolsonaro disse que o “presidente” da OMS teria afirmado que “a fome mata mais do que o vírus”, ao responder a jornalistas sobre a declaração do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, teria reprovado o passeio do presidente pelo Distrito Federal no último domingo (29).

“Eu não sei o que ele [Mandetta} falou. Eu tenho que ver, porque acreditar que está escrito, não, né? Não se esqueça que eu sou o presidente. Vamos seguir orientação da OMS. A OMS falou o quê? O que o diretor-presidente falou? Que esse povo humilde fica o dia todo na rua pra levar um prato de comida à noite em casa. E ele falou isso, que ele era africano, sabe o que é passar dificuldade. A fome mata mais que o vírus, tá certo?”, afirmou.

Etíope, Tedros Adhanom, no entanto, afirmou que: “É vital respeitar a dignidade do próximo. É vital que os governos se mantenham informados e apoiem o isolamento. Os governos precisam garantir o bem-estar das pessoas que perderam sua renda”.

Bolsonaristas
Após a declaração, Bolsonaro incitou youtubers e blogueiros apoiadores seus contra a imprensa. Um rapaz não identifica, que disse ter um canal no Youtube, atacou os jornalistas, dizendo que a imprensa “fica jogando os ministros contra o presidente”.

“Fala ai, fala ai. Agora é ele que vai falar, não vocês”, disse Bolsonaro. “É o tempo todo jogando os ministros contra o presidente. Só ontem, ontem eu fiz um vídeo no meu canal mostrando isso, a canalhice de vocês, jogando o Mandetta contra”, disse o rapaz.

Parte dos jornalistas, então, viraram as costas e deixaram a entrevista. Bolsonaro então incitou os apoiadores. “Vai embora? Vai abandonar o povo? A imprensa que não gosta do povo”, disse Bolsonaro, atiçando os apoiadores.

Witzel e Doria
Bolsonaro ainda voltou a atacar os governadores Wilson Witzel (PSC), do Rio de Janeiro, e João Doria (PSDB), de São Paulo. Ao comentar uma fala de um apoiador, de que Witzel teria ameaçado a população de prisão caso saiam às ruas, o presidente foi irônico.

“Oxe… Virou ditadura”, disse Bolsonaro aos risos. “Porque o governador colocou grade em volta da casa dele?”, indagou o presidente aos apoiadores, fazendo menção à Dória, que reforçou a segurança após receber ameaças de morte. “Será que é para cercar o vírus?”, disse Bolsonaro.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum