Bolsonaro: “Para mim, o ideal é ficar livre da Petrobras”

Além de defender a privatização da Petrobras, Bolsonaro atacou Rosa Weber dizendo que a ministra foi injusta e que "não é barganha" a liberação de recursos em troca de votos para propostas do governo no legislativo

Jair Bolsonaro (Sem partido) destilou ignorância ao falar sobre a Petrobras em entrevista divulgada peloa rádio Jovem Pan de Curitiba na manhã desta segunda-feira (8).

Leia também:
Após aumento dos combustíveis, Bolsonaro volta a falar em privatizar Petrobras
Paulo Guedes: “Petrobras vai valer zero daqui a 30 anos” por isso tem que vender

Demonstrando total desprezo pela estatal petrolífera, Bolsonaro culpou a empresa pelo alto valor dos combustíveis e disse que, para ele, o ideal seria “ficar livre” da Petrobras.

“Para mim, o ideal é você ficar livre da Petrobras. Logicamente, privar para muitas empresas. Não pode tirar de uma monopólio estatal e colocar em um monopólio privado, tem que fatiar isso daí”, afirmou.

O presidente ainda voltou a fazer uma defesa confusa da tese já refutada sobre a incidência do ICMS que, segundo ele, é o que encarece os combustíveis – e não a política de paridade internacional do preço do petróleo adotada pela Petrobras no governo golpista de Michel Temer (MDB) e mantida por ele.

Por fim, ainda criiticou a divisão dos lucros da empresa, uma das grandes fontes de receita da União para projetos nas áreas da saúde, da educação e sócio-culturais.

“Pode melhorar na Petrobras? Pode até porque os dividendos, no meu entender, são um absurdo. R$ 31 bilhões em três meses, eu não quero a parte da União tendo esse lucro fantástico”, disse, ignorando o lucro dos acionistas.

Orçamento secreto

Bolsonaro ainda atacou a ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF) que decidiu barrar a política de “toma lá, dá cá” com o orçamento secreto comandado por Arthur Lira (PP-AL) na Câmara Federal.

Publicidade

O presidente classificou a ministra como injusta dizendo que a liberação de recursos em troca de votos para propostas do governo no legislativo “não é barganha”.

“Os argumentos usados pela relatora do Supremo não são justos, dizer que nós estamos barganhando. Como posso barganhar se quem é o dono da caneta é o relator, um parlamentar? E não é [orçamento] secreto porque está no Diário Oficial da União”, afirmou, atacando o que considera “interferência excessiva do judiciário”.

Publicidade

“É uma atrás da outra. A mesma Rosa Weber… há pouco tempo [eu] decidi zerar o imposto de importação de armas, ela achou que era injusto e vetou. Eu acho que há um excesso de interferência do Judiciário no Executivo”.

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.